Últimas Notícias

Cinco deputados anunciam acordo para disputar presidência contra Maia

Cinco deputados fe­derais divulgaram nesta quarta-feira (12) carta em que formalizam união para disputar a presidência da Câmara com Rodrigo Maia (DEM-RJ), atual ocupante do posto e candidato à reeleição em 1º de fevereiro. Os parlamentares são todos de siglas que negociam a formação de um blocão para isolar o PSL de Jair Bolsonaro e o PT e ocupar os principais postos de comando da Casa, que também serão decididos em fevereiro.

Nem Maia nem os cinco oponentes prometem fazer oposição a Bolsonaro, mas tampouco se apresentam como candidatos oficiais do futuro governo. Nos bastidores, os articuladores políticos do presidente eleito trabalham contra a candidatura de Maia.
Assinam o documento os deputados Fábio Ramalho (MDB-MG), vice-presidente da Câmara, João Campos (PRB-GO), Capitão Augusto (PR-SP), JHC (PSB-AL) e Alceu Moreira (MDB-RS). Os nomes desse grupo têm maior simpatia da equipe de Bolsonaro. Na carta, declaram apoio mútuo àquele que conseguir passar para um segundo turno.

A eleição para a presidência da Câmara é secreta. Além de ser o segundo na linha sucessória da Presidência, o presidente da Câmara tem o poder de decidir a pauta de votações do plenário, além de definir o enterro ou prosseguimento de eventual pedido de impeachment contra o presidente da República.

 REAJUSTE

Fábio Ramalho defendeu nesta quarta-feira, na tribuna, o aumento de salário de parlamentares. Ramalho defende aumento de 4% nos vencimentos dos deputados, o que elevaria os rendimentos mensais para R$ 39 mil. Segundo o parlamentar, houve erro da mesa diretora da Câmara que não fez a previsão desse aumento no orçamento da Casa neste ano.

Atualmente os deputados recebem R$ 33,7 mil. Os parlamentares também têm direito a verba de gabinete para contratação de pessoal (de R$ 78 mil), auxílio-moradia (de R$ 3 800) e cota parlamentar (que varia de R$ 30,7 mil a R$ 45,6, dependendo do Estado de origem do parlamentar). Há ainda o “auxílio mudança”, equivalente a um salário e pode ser recebido em dobro por aqueles que foram reeleitos.

Print Friendly, PDF & Email

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

*