Diadema, Política-ABC, Sua região

Centros Educa vão contar com R$ 10 milhões em investimentos

O prefeito reeleito de Diadema, Lauro Michels (PV), detalhou, durante entrevista exclusiva ao Diário Regional, as regiões da cidade em que pretende construir os quatro Centros Educa, equipamentos que vão reunir atividades educacionais, de arte e cultura. Com investimento estimado em R$ 2,5 milhões por unidade, totalizando R$ 10 milhões, um centro será instalado na Rua dos Signos, no Parque Real; outro próximo à Avenida Casa Grande, o terceiro no Campanário e o quarto no Canhema.

De acordo com o prefeito, o objetivo é que os quatro centros sejam construídos e concluídos dentro dos quatro anos do próximo mandato. A gestão será compartilhada com o governo federal, como ocorre atualmente com a Praça de Esportes e Cultura (PEC) no Jardim União. “Queremos coisas novas para o novo mandato”, destacou.

Ainda na área de Educação, Michels comemorou os resultados alcançados com a adoção do material de ensino do Sesi. “São investidos R$ 9 por aluno ao ano e, com isso, conseguimos a uniformidade na questão dos livros. Os livros do PNLD (Programa Nacional do Livro Didático) eram diferentes de escola para escola. Havia desencontro de informação, bagunçava um pouco”, explicou. “O material do Sesi é do aluno, que tem sua posse, leva para casa. O outro não”, completou.

Em cada escola foi instituída a figura do coordenador pedagógico, que passa por formação, juntamente com os professores, pelo próprio Sesi. “O maior resultado que temos é a nota do IDEB (Índice de Desenvolvimento da Educação Básica), que evoluiu de 5,4 em 2012 para 6,3 em 2016. Quer dizer que deu certo,” comentou.

Parcerias

Sobre as parcerias em andamento com o governo estadual – a construção da unidade da Rede de Reabilitação Lucy Montoro, que está sendo instalada dentro do Quarteirão da Saúde, e a Fabrica de Cultura, que está sendo construída no Centro da cidade –, Lauro Michels acredita que ambas devam ser concluídas ainda neste ano.

“Houve um problema com a empresa, que faliu, e chamamos a segunda colocada, que vai assumir o acabamento das obras da Lucy. O recurso está depositado, está tudo bonitinho”, explicou. “No caso da Fábrica da Cultura, o gerenciamento da obra não é da prefeitura. Parece que o PV assumiu a Secretaria de Estado da Cultura, e nós vamos agora ver o que vai ser de previsão da Fábrica, porque minha vontade é (terminá-la) neste final de ano”, completou.

Michels: “Queremos coisas novas para esse novo mandato”. Foto: Eberly Laurindo

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*