Diadema, Minha Cidade, Sua região

Casa do Hip Hop de Diadema recebe professores dos Estados Unidos

Hoje (8), às 14h, um grupo professores do Skyline College, universidade situada em San Bruno, na Califórnia (EUA), visitam a Casa de Hip Hop de Diadema para conhecer o trabalho sociocultural que o espaço realiza utilizando os elementos do Hip Hop. Os visitantes serão recebidos pelo secretário de Cultura, Eduardo Minas, que irá falar sobre as ações realizadas no local, envolvendo jovens e adultos e a população em geral.

Entre as atividades estão as oficinas voltadas ao Hip Hop:  DJ (discotecagem); Breaking (dança de rua), Graffiti (grafite) e MC (mestre de cerimônia), que são gratuitas e têm duração semestral.  Elas ajudam divulgar e preservar elementos da Cultura Negra e ao mesmo tempo formar jovens e adolescentes, muitos deles em situação de vulnerabilidade social. Além disso, o espaço tem programação diversa que abrange a difusão cultural em áreas da música, dança, teatro e cidadania.

A vinda dos docentes americanos ao Brasil é para estreitar contato com a Cultura Negra e Afrodescendente e também visa intercâmbio cultural. “O objetivo é conhecer melhor o projeto de Diadema para que em julho ou agosto próximos possamos trazer um grupo de estudantes de História, da Skyline College,  para também conhecer a Casa do Hip Hop”, revela Carol Valente, educadora social que acompanha o grupo de professores.

Para o secretário de Cultura de Diadema, Eduardo Minas, a visita é uma forma de reconhecimento do trabalho que a Casa do Hip Hop desenvolve há quase 19 anos  e que já se tornou uma referência. “Além de garantir acesso a cultura à população, a Casa do Hip Hop, por meio das oficinas, ajuda a formar cidadãos. Com isso, promove cidadania e abre novas perspectivas de vida para as pessoas. Por isso, seu trabalho como primeira casa pública a adotar os elementos do Hip Hop é reconhecido em todo Brasil e internacionalmente”, afirma.

Ainda em São Paulo os professores americanos vão ter contato com grupos ligados a Capoeira e ao Candomblé. Depois seguem para o Rio de Janeiro para contato com a Universidade Federal do Rio Janeiro (UFRJ

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*