Editorias, Notícias, Saúde e Beleza

Carnaval se aproxima e bancos de sangue estão em estado de alerta

João Paulo Pacifico (abaixo) com parte da equipe do Grupo Gaia em ação Sangue Azul.Foto: Divulgação

Os dados não são animadores, mas, é comum que em feriados prolongados, como o Carnaval, haja aumento de acidentes nas estradas brasileiras, fato que gera sobrecarga aos bancos de sangue em todo o País, que contam atualmente com apenas 1,9% da população doando sangue voluntariamente.

Em São Paulo, a Fundação Pró Sangue, um dos maiores bancos da América Latina, coleta e processa mensalmente, aproximadamente, 12 mil bolsas de sangue que são destinados a mais de cem instituições públicas, sendo responsável por cerca de 32% do sangue coletado em toda região metropolitana do estado.

Realidade parecida é a do Hemocentro São Lucas, que atende 60 hospitais na Grande São Paulo e mobiliza cerca de seis mil pessoas mensalmente para manter os estoques de sangue abastecidos para atender os hospitais cadastrados. “Não é uma tarefa fácil, é preciso conscientizar o tempo todo sobre a doação de sangue, que é um procedimento seguro e sempre lembrar sobre os requisitos necessários para a doação. Infelizmente, as épocas festivas acabam consumindo mais bolsas de sangue e é essencial termos mais doadores nesses períodos”, destaca. Elíseo Sekyia, diretor médico do Hemocentro São Lucas.

Os procedimentos, em todo o Brasil, são extremamente seguros e passam por rigorosos controles de qualidade. Antes da doação, os voluntários passam por entrevistas e realizam alguns exames prévios. Após a coleta, o sangue é testado para diversas patologias, garantindo que o material coletado esteja em condições saudáveis para futuros procedimentos. Cada doador pode ajudar até quatro pessoas, pois as bolsas são fracionadas em plasma, hemácias ou glóbulos vermelhos, plaquetas e crioprecipitado, que podem ser destinados a tratamentos diversos, anemias, hemorragias, quimioterapias, entre outros.

Campanhas

As doações voluntárias – quando não são para repor o uso de um paciente específico – tem aumentado no Brasil. Esse crescimento se dá também por iniciativas de grupos independentes e empresas que buscam incentivar a prática com frequência. Um exemplo são as campanhas Sangue Azul, do Grupo Gaia, que acontecem duas vezes ao ano para todos os colaboradores.

Neste mês, o CEO da empresa, João Paulo Pacifico, atingiu 100 mil seguidores no LinkedIn e lançou um convite a todos: uma grande doação de sangue para manter os números positivos nos estoques. Os doadores ainda podem ganhar o livro Onda Azul, escrito pelo empresário e em fase de pré lançamento. “Tentamos, de alguma forma, devolver nossas conquistas para a sociedade, com iniciativas e projetos que impactam na vida das pessoas. Com a conquista dos 100 mil não seria diferente. Por que não sensibilizar tanta gente para a importância da doação de sangue?”, destaca Pacifico.

Para participar da campanha Sangue Azul, basta postar uma foto do momento da doação em suas redes sociais, durante o mês de fevereiro, com as hashtags #SANGUEAZUL e #ONDAAZUL. Aos que quiserem receber o livro Onda Azul, basta enviar a foto também pelo email: sangueazul@grupogaia.com.br. O livro pode ser retirado pessoalmente na Gaia, onde ainda é possível conhecer o Tobogaia e o redário a três metros de altura, ou pagar o frete e receber pelos Correios.

“Acreditamos que se a pessoa quis participar do Sangue Azul, é porque, de alguma forma, ela topou mudar o mundo com a gente, porque acredita que a felicidade mora nos pequenos gestos. Então, ela já faz parte da nossa Onda Azul, por isso vamos dar o livro para que ela entenda melhor esse nosso jeito diferente de fazer acontecer”, finaliza o empresário.

 

 Requisitos básicos para a doação de sangue

–          Estar em boas condições de saúde.

–          Ter entre 16 e 69 anos, desde que a primeira doação tenha sido feita até 60 anos (para menores de 18 anos, verificar no site (www.hemocentrosaolucas.com.br) documentos necessários e formulários de autorização).

–          Pesar no mínimo 50kg.

–          Não ingerir bebida alcoólica 48 horas antes da doação

–          Não ter realizado exame/procedimentos com endoscópio nos últimos 6 meses

–          Não ter feito tatuagem ou piercing nos últimos 6 meses

–          Não ter diabetes (com uso de insulina) ou epilepsia

–          Não ter tido Hepatite após os 11 anos de idade

–          Estar descansado (ter dormido pelo menos 6 horas nas últimas 24 horas) e alimentado (evitar alimentação gordurosa nas 4 horas que antecedem à doação).

–          Apresentar documento original com foto recente (que permita a identificação do candidato), emitido por órgão oficial (Carteira de Identidade, Cartão de Identidade de Profissional Liberal, Carteira de Trabalho e Previdência Social ou Carteira de Habilitação).

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*