Mauá, Política-ABC

Câmara de Mauá rejeita pedido de impeachment de Marcelo Oliveira

Câmara de Mauá rejeita pedido de impeachment de Marcelo Oliveira
Pedido de impeachment foi rejeitado com 21 votos e uma abstenção. Foto: Divulgação/CMM

A Câmara de Mauá arquivou nesta terça-feira (14) o pedido de abertura de processo de impeachment contra o prefeito Marcelo Oliveira (PT) feito pelo vereador Anderson Simões, o Sargento Simões (Podemos).

O arquivamento da denúncia recebeu 21 votos, com uma abstenção. Como, pela legislação, o autor é impedido de votar em solicitação de sua autoria, Simões licenciou-se do mandato e Márcio Bertucci – primeiro suplente do Podemos – foi empossado.

No pedido, Simões alega que o prefeito cometeu crime de responsabilidade por conta de supostas irregularidades na vacinação contra a covid-19. O vereador argumenta que, até 25 de agosto, o município havia recebido 481,9 mil doses de imunizantes, mas aplicado 396,8 mil, deixando em estoque 85,1 mil doses.

“Nunca vi um governo tão fraco e omisso como esse”, disse Simões, ao defender o pedido. Em seguida, o vereador insinuou, sem apresentar provas, que colegas de Casa teriam recebido propina para retirar assinaturas de requerimento para abertura de Comissão Especial de Inquérito (CEI) sobre a iluminação pública.

“Os vereadores assinam a CEI por entender que é bom para o município. Aí vem o governo e barra a CEI. Por quê? Só posso entender que está ganhando dinheiro. Não tem outra explicação: interesse financeiro em detrimento dos pobres”, disse Simões.

O vereador rebateu acusações segundo as quais teria apresentado o pedido de impeachment para ganhar visibilidade, uma vez que será candidato no próximo ano. “Estou c****** e andando para quem acha isso.”

Antes mesmo da votação do pedido, em meio à repercussão negativa do discurso entre os vereadores, o presidente da Câmara, José Carlos Martins, o Zé Carlos Nova Era (PL), afirmou que vai verificar com a assessoria jurídica da Câmara a possibilidade da criação de comissão de ética para avaliar as declarações de Simões na tribuna.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*