Mauá, Política-ABC, Sua região

Câmara de Mauá rejeita pedido de Admir Jacomussi sobre suspensão do processo que analisa cassação por vacância

Câmara de Mauá rejeita pedido de Admir Jacomussi sobre suspensão do processo que analisa cassação por vacância
Admir Jacomussi pediu o cancelamento do processo, alegando que Davidson Rodrigues, que assina o pedido de impeachment de Atila, não exerce o cargo de presidente do PSL. Foto: Arquivo

A Comissão Processante que avalia o pedido de cassação do prefeito afastado de Mauá, Atila Jacomussi (PSB), com base no afastamento por mais de 15 dias sem anuência da Câmara, decidiu acatar o parecer do Departamento Jurídico da Casa, que julgou improcedente o pleito do vereador Admir Jacomussi (PRP).

O parlamentar, que é pai de Atila, pediu o cancelamento do processo, alegando que Davidson Rodrigues, que assina o pedido de impeachment, não exerce o cargo de presidente do PSL, pois o diretório do partido em Mauá está suspenso pelo TSE (Tribunal Superior Eleitoral) por falta de prestação de contas.

Já a comissão que analisa o pedido de cassação por quebra de decoro decidiu que o substituto do vereador Osvanir Carlos Stella, o Ivan (Avante), será escolhido no próximo dia 5, na primeira sessão do ano.
Ivan apresentou ofício na Diretoria da Câmara renunciando a sua vaga na comissão por motivo de saúde. O parlamentar apresentou laudo médico que atesta sua impossibilidade devido aos tratamentos a que é submetido, em especial quanto ao AVC (acidente vascular cerebral) que sofreu recentemente.

As duas comissões têm prazo de até 90 dias para emitir parecer sobre os pedidos de cassação de Atila Jacomussi, preso desde 13 de dezembro, suspeito de receber propina de nove empresas com contratos com a prefeitura.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*