Economia, Notícias

Braskem e Siemens vão investir R$ 600 milhões na modernização de fábrica no Polo Petroquímico

Braskem e Siemens vão investir R$ 600 milhões na modernização de fábrica no Polo Petroquímico
Aporte na unidade de Santo André da Braskem começa este ano e terminará em 2021. Foto: Divulgação

A Braskem anunciou, ontem (13), parceria com a Siemens para a modernização do sistema termelétrico que atende a central de matérias primas (cracker) situada em Santo André, dentro do Polo Petroquímico do ABC. As duas empresas vão dividir investimentos de R$ 600 milhões.

A modernização da unidade prevê a troca de turbinas à base de vapor por motores elétricos de alto rendimento e a implementação de nova usina de cogeração de energia alimentada por gás resi­dual do processo de produção petroquímica da Braskem.

O aporte começa neste ano e conclusão é prevista pa­ra 2021. Os recursos serão aplicados pela Braskem em parceria com a Siemens, que vai construir e operar a usina por meio de contrato de 15 anos.

Segundo a Braskem, a mu­dança tornará o processo pro­dutivo da central petroquí­mica energeticamente mais eficien­te. Com a modernização, a empresa estima a redução do consumo de energia equivalente ao de uma cidade com um milhão de habitantes.

“Com a cogeração combinada de energia elétrica e gás, vamos consumir menos energia e emitir menos gases de efeito estufa”, disse em nota Luís Pazin, diretor industrial da unidade de Químicos da Braskem no Sudeste. A estimativa é de redução de 11,4% no consumo de água e de 6,3% nas emissões de dióxido de carbono (CO2) da unidade.

“O acordo é uma de­mons­tração clara de que a Braskem tem procurado mo­delos de ne­gócio criativos a favor da sua competitividade”, complementou Gustavo Checcucci, di­re­tor de Energia da Braskem.

Para a Siemens, o projeto se­rá referência no mercado industrial. Trata-se do primeiro contrato de investimento conjunto fechado pela empresa no país.

“O inovador modelo BOO (do inglês, construtor, proprie­tário e ope­rador) assegura que a Braskem foque seus recursos no negócio, deixando sob responsabilidade da Siemens os investimentos necessários à engenharia, implementação, operação e ma­nutenção da usina de cogeração”, afirmou Yuri Sanches, gerente geral da Siemens no Brasil.

Antiga Petroquímica União (PQU), a central de matérias primas da Braskem foi inaugu­rada em 1972. A unidade é res­ponsável pela transformação de matérias-primas com origem no petróleo, como a nafta, em insumos químicos básicos (eteno, prope­no, butadieno e resinas hidrocarbônicas, entre outros) que dão ori­gem a diversos produtos, co­mo plástico e borracha.

 

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*