Esportes, Futebol

Brasil vence a Venezuela e assume liderança

Willian marcou um dos gols da vitória brasileira sobre a Venezuela em Mérida . Foto: Lucas Figureiredo/CBF

A rodada das Eliminatórias sul-americanas da Copa de 2018 foi perfeita para a seleção brasileira. Ontem (11), o time venceu a Venezuela em Mérida por 2 a 0; mesmo sem seu principal jogador, o atacante Neymar, o técnico Tite conseguiu sua quarta vitória em quatro jogos; e o Brasil, graças ao empate entre Uruguai e Colômbia, assumiu a liderança do torneio que dá quatro vagas ao Mundial da Rússia.

Com uma sequência de quatro vitórias (Colômbia, Equador, Bolívia e Venezuela, ontem), o Brasil deu um salto na tabela de classificação.

A equipe saiu do incomodo sexto lugar, fora da zona de classificação para o Mundial, e pulou para a primeira colocação, com 21 pontos – um a mais do que o Uruguai, que agora é o vice-líder.

A sexta posição ocupada nas Eliminatórias em maio foi um dos motivos que levaram Dunga a ser demitido do comando da seleção. No mês seguinte, a gota d’água veio com eliminação na primeira fase da Copa América Centenário, realizada nos EUA.

A Argentina é a próxima adversária da seleção nas eliminatórias, em jogo marcado para o Mineirão, no dia 10 de novembro.

Será a primeira partida da equipe brasileira no estádio desde a goleada sofrida para a Alemanha por 7 a 1, na semifinal da Copa de 2014.

O confronto deve ser marcado pelo duelo entre os atacantes do Barcelona, Neymar e Messi. O brasileiro ficou fora do jogo de ontem por suspensão. O argentino está machucado e não foi convocado.

Facilidade

A vitória da seleção brasileira foi facilitada pela fragilidade do time da Venezuela, último colocado das Eliminatórias, com dois pontos.

Logo aos 7 minutos, Gabriel Jesus aproveitou erro na saída de bola do goleiro Hernández e marcou por cobertura seu quarto gol pela seleção principal em quatro jogos.

No segundo tempo, o Brasil garantiu a vitória com gol de Willian, aproveitando cruzamento de Renato Augusto.

Com o placar em 2 a 0, aos 28 minutos da segunda etapa, os refletores do estádio Metropolitano apagaram. A partida ficou paralisada por cerca de 22 minutos.

No retorno, a seleção brasileira administrou o resultado e foi pouca ameaçada pelo frágil rival.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*