Esportes, Outros Esportes

Brasil fatura mais sete medalhas e continua no ‘top 5’

Daniel Martins faturou a medalha de ouro nos 400m do atletismo categoria T20. Foto: Divulgação/Rio2016

Se o primeiro dia dos Jogos Paraolímpicos do Rio de Janeiro reservou quatro medalhas para o Brasil (dois ouros, uma prata e um bronze), o segundo foi ainda melhor.

Ontem (9), o país acrescentou mais sete láureas (uma de ouro, cinco de prata e uma de bronze) no quadro de medalhas e permaneceu com a quinta colocação no quesito maior número de ouros.

A primeiro pódio do dia veio ainda pela manhã. No Estádio Olímpico, Daniel Martins faturou o título dos 400m do atletismo na categoria T20, para deficientes mentais, e ainda quebrou o recorde mundial com o tempo de 47s22.

Ainda no Engenhão, nos 100m rasos do atletismo, Fábio Bordignon chegou na segunda posição na disputa da final para homens da Rio-2016, e Verônica Hipólito terminou na mesma colocação da prova para mulheres, ambos na classe T38 (deficientes que não precisam de apoios ou cadeira de rodas). No lançamento de disco, classe F11, Izabela Campos ficou com o único bronze brasileiro do dia.

No fim da tarde foi a vez de Lúcia da Silva Teixeira Araújo conquistar nova prata. Desta vez a disputa foi no tatame. Na final do judô feminino (até 57 kg), na modalidade para pessoas com deficiência visual, a brasileira foi derrotada pela ucraniana Inna Cherniak.

Piscinas

Nas piscinas do Estádio Aquático, Phelipe Rodrigues roubou a cena e ficou com a prata nos 50m livre classe S10 (para atletas com comprometimento leve em extremidades ou articulações), desbancando o favorito da prova André Brasil. O brasileiro detém o recorde mundial e é bicampeão Paraolímpico, mas o nadador ficou fora do pódio por três centésimos.

Por fim, o Brasil também ficou com a medalha de prata no revezamento 4x50m livre misto. Os chineses levaram o ouro e quebraram o recorde mundial da prova com o tempo de 2m18s03.

Os brasileiros Clodoaldo Silva, Joana Maria Silva, Susana Ribeiro e Daniel Dias caíram na água. A equipe começou bem, mas na penúltima troca de atleta foi superada pelos chineses. O Brasil fechou a prova em 2m25s55.

O Comitê Paralímpico Brasileiro (CPB) tem a meta de terminar os Jogos do Rio de Janeiro entre os cinco primeiros no quadro de conquistas, duas posições à frente da obtida em Londres-2012.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*