Esportes, Seleção Brasileira

Brasil encerra jejum e alivia pressão sobre Tite

Brasil encerra jejum e alivia pressão sobre Tite
Lateral Danilo comemora seu gol, o terceiro na vitória sobre os sul-coreanos. Foto: Pedro Martins/MoWA Press

Depois de acumular cinco jogos sem vitórias, em um jejum que começou após a conquista do título da Copa América, em julho, a seleção brasileira finalmente voltou a ganhar. No últi­mo amistoso da temporada, a equipe comandada por Tite bateu a Coreia do Sul por 3 a 0, nesta terça-feira (19), em Abu Dabi, nos Emirados Árabes Unidos.

O triunfo era considerado fundamental para o treinador, sobretudo depois de, na última sexta-feira, a equipe nacional ser superada pela rival Argentina por 1 a 0, em Riad, na Arábia Saudita. Após aquele revés, o comandante começou a admitir que estava sob pres­são no seu cargo, mas agora volta a respirar aliviado ao fe­char o ano de forma positiva.

Antes do clássico, o Brasil ha­via acumulado três empates (2 a 2 com a Colômbia e 1 a 1 com Senegal e Nigéria) e ainda foi batido pelo Peru por 1 a 0. A última vitória havia sido conquistada na decisão da Copa América, em julho, quando derrotou os peruanos por 3 a 1 no Maracanã.

O triunfo em Abu Dabi também impediu que o Brasil supe­rasse sua maior sequência sem vencer com sua equipe principal desde 2013, igualada com o revés sofrido diante da Argentina. Entre o final da pas­sa­gem de Mano Menezes e o retorno de Felipão, o time na­cional acumulou empates com Colômbia, Itália e Rússia, além de derrotas para Argenti­na e Ingla­terra, em uma série iniciada no final de 2012 e concluída no ano seguinte.

BRASIL RESSURGE

Com cinco mudanças na escalação titular em relação ao time que começou o duelo com a Argentina na sexta-feira, a seleção brasileira finalmente conseguiu resgatar um pouco do seu bom futebol, que não foi visto nos cinco amistosos anteriores. Sem o lesionado Alex Sandro e os sacados Thiago Silva, Casemiro, Willian e Roberto Firmino, Tite mandou sua equipe a campo com Renan Lodi, Marquinhos, Fabinho, Coutinho e Richarlison como novidades.

Destes nomes, destaque maior para Renan Lodi, que mostrou desenvoltura na lateral esquerda e deu dois passes que resultaram em gols brasileiros. O primeiro deles saiu já aos oito minutos, quando o jogador do Atlético de Madrid trocou passes com Coutinho e cruzou para Lucas Paquetá, na pequena área, cabecear no canto direito do goleiro Jo Hyeon-Woo para abrir o placar.

Na seleção asiática, a principal esperança de gol era deposi­tada no atacante Son Heung-Min, do Tottenham, que exigiu boa defesa de Alisson aos 14 minutos e depois levou perigo aos 21 em nova finalização.

Passados os dois sustos, o Brasil ampliou o placar aos 35 minutos. Philippe Coutinho – que vinha de um jejum de dez jogos sem marcar pela seleção – aproveitou bem falta frontal ao cobrá-la com categoria e acertar o ângulo direito de Jo Hyeon-Woo. A equipe nacional não marcava um gol de falta desde 5 de setembro de 2014, quando Neymar garantiu, por meio de bola parada, o triunfo por 1 a 0 sobre a Colômbia em um amistoso nos Estados Unidos.

Curiosamente, o mesmo Cou­tinho quase fez um gol contra pouco depois, aos 41 minutos, em um lance no qual se atrapalhou e acabou dando sorte. A bola bateu no pé da trave.

Mesmo com a confortável vantagem de 2 a 0, Tite optou por ser conservador ao voltar para a etapa final com a mesma equipe. Mais preocupado com a necessidade de conquistar uma vitória do que com a oportunidade de testar jogadores convocados, só foi promover a primeira substituição aos 35 minutos, trocando Arthur por Douglas Luiz. Depois, tirou Paquetá, Jesus e Lodi, substituídos respectivamente por Firmino, Rodrygo e Emerson, mas todos tiveram pouco tempo pa­ra mostrar serviço.

Bem antes dessas substitui­ções, o Brasil achou o caminho do terceiro gol aos 14 desta etapa final, quando Lodi mostrou visão de jogo ao dar passe rasteiro que atravessou quase toda a grande área e encontrou Danilo, que vinha de trás e acer­tou forte chute de fora da área para ampliar. O goleiro sul-coreano ainda tocou na bola, mas não conseguiu impedir o gol.

Após fechar sua temporada, a seleção terá como próximos desafios as duas primeiras rodadas das Eliminatórias Sul-Americanas da Copa de 2022, em março. O sorteio que definirá a tabela será realizado no dia 3 de dezembro.

 

BRASIL 3 X 0 COREIA DO SUL

Gols: Paquetá, aos 8, e Coutinho, aos 35 do 1º tempo; Danilo, aos 14 da 2ª etapa. Ár­bi­tro: Ammar Al-Jeneibi (EAU). Estádio: Mohammed Bin Zayed, em Abu Dabi, nesta terça-feira.

BRASIL

Alisson; Danilo, Marquinhos, Militão e Renan Lodi (Emerson); Fabinho, Arthur (Douglas Luiz) e Paquetá (Firmino); Coutinho, Gabriel Jesus (Rodrygo) e Richarlison. Técnico: Tite.

COREIA DO SUL

Jo Hyeon-Woo; Kim Moon-Hwan, Kim Young-Gwon, Kim Min-Jae e Kim Jin-Su; Lee Jae-Sung (Kwon Chang-Hoon), Jung Woo-Young e Ju Se-Jong; Hwang Hee-Chan (Na Sang-Ho), Son Heung-Min e Hwang Ui-Jo. Técnico: Paulo Bento.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*