Copa do mundo, Esportes, Futebol

Brasil empata com a Colômbia e ainda busca recorde nas Eliminatórias

Willian comemora gol com Neymar e Renato Augusto. Foto:  Pedro Martins/MoWA PressClassificado para a Co­pa da Rússia, o Brasil precisa de vitórias nas duas rodadas finais das Eliminatórias sul-americanas para igualar o recorde da Argentina de melhor campanha da história. Ontem (5), em Barranquilla, a equipe de Tite empatou por 1 a 1 com a Colômbia. Os gols foram marcados por Willian e Falcao García.

Antes do torneio de 2002, disputado na Coreia do Sul e no Japão, os argentinos terminaram as Eliminatórias com 43 pontos. Hoje com 37, o Brasil pode também chegar aos 43 se derrotar Bolívia (fora) e Chile (em casa).

Com 26 pontos, os colombianos continuam na briga por uma das quatro vagas automáticas para o Mundial da Rússia. O quinto colocado disputará repescagem contra a Nova Zelândia. O empate interrompeu sequência de nove vitórias consecutivas do Brasil nas Eliminatórias.

Tite fez mudanças no time em relação ao da vitória sobre o Equador, na semana passada. Uma delas, no ataque. Roberto Firmino começou como titular no lugar de Gabriel Jesus. No meio, Fernandinho foi titular na vaga de Casemiro.

Com estilo mais vertical, a Colômbia ameaçava pela direita, graças aos avanços de Cuadrado, mas James Rodriguez – principal esperança de armação dos donos da casa – teve 45 minutos apagados.

Não que a velocidade tenha dado resultado para os colombianos. A dificuldade em entrar na área brasileira fez o time arriscar chutes de fora da área com Cardona e Cuadrado. Rodríguez também tentou de falta, mas não conseguiu superar Alisson.

Se atacava pela direita, a Colômbia dava espaço pelo mesmo setor na defesa. Foi por ali que o Brasil criou opor­tunidades, com Neymar passando sem grandes problemas pela marcação de Arias. Apenas era parado com faltas nem sempre marcadas pelo árbitro venezuelano Jesús Valenzuela.

Duas vezes o atacante brasileiro ganhou em velocidade e chegou à área em condições de finalizar, mas não acertou ao alvo. Quando, ao invés do chute, deu o passe, o Brasil abriu o placar. Aos 46 minutos, Willian recebeu o passe e acertou voleio no canto direito.

Mudanças

No intervalo, o técnico argentino José Pekerman tirou Cuadrado, o melhor jogador da Colômbia no primeiro tempo. Entrou Chará.

Deu certo. A Colômbia começou o segundo ainda mais incisiva, tocando a bola com tranquilidade e sem lançamentos longos. O empate aconteceu aos dez minutos, em cabeçada de Falcao García, que parece ter encontrado, a menos de um ano do Mundial de 2018, o futebol que perdeu antes da grave lesão de joelho que sofreu antes da Copa de 2014.

Os colombianos cresceram na partida por perceberem que a virada era possível. James Rodríguez acertou a trave em cobrança de falta que, se resultasse em gol, teria sido falha de posicionamento de Alisson.

O domínio durou pouco tempo. O Brasil se recuperou em campo e voltou a ameaçar com velocidade de Neymar, ignorando o calor de 34ºC em Barranquilla. O brasileiro continuava ganhando da marcação. Para dar ainda mais força ao ataque, Tite colocou Gabriel Jesus em campo. Depois entrou Philippe Coutinho.

A partir dos 35 minutos, Pekerman chegou à conclusão de que o empate não era tão ruim assim e deixou seus jogadores mais recuados pa­ra preservar o 1 a 1, o que aconteceu.

 

COLÔMBIA 1 x 1 BRASIL

Gols: Willian, aos 46 do 1º tempo; Falcao García, aos 10 da 2ª etapa. Ár­bi­tro: Carlos López (Venezuela). Estádio: Roberto Meléndez, em Barranquilla, ontem à tarde.

COLÔMBIA

Ospina; Arias, Zapata, Davinson Sánchez e Fabra (Tesillo); Carlos Sánchez, Aguilar; Cua­drado (Chará), James Rodríguez e Cardona (Teo Gutiérrez); García. Técnico: José Pékerman.

BRASIL

Alisson; Daniel Alves, Marquinhos, Thiago Silva (Rodrigo Caio) e Filipe Luís; Fernandinho, Paulinho, Renato Augusto (Cou­tinho), Willian e Neymar; Firmino (G. Jesus). Técnico: Tite.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*