Economia, Notícias

Bolsonaro revoga MP do Contrato Verde Amarelo, que ameaçava caducar

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) decidiu revogar a medida provisória que instituiu o Contrato Verde Amarelo (MP 905/2019). O texto perderia a validade nesta segunda-feira (20), caso não fosse votado no Senado. A opção revogação ocorreu por meio de acordo com o presidente da Casa, Davi Alcolumbre (DEM-AP).

“Diante da iminente caducidade da MP 905, optei por revogá-la, mediante entendimento com o presidente do Senado”, escreveu Bolsonaro em publicação em sua página no Facebook. Com o acordo, a assessoria de imprensa do Senado cancelou a sessão remota marcada para ontem.

Bolsonaro informou também que uma nova MP deverá ser editada para definir novas regras para o contrato Verde Amarelo durante a crise provocada pelo novo coronavírus.
“Para criação de empregos editaremos nova MP, específica para tratar do contrato Verde e Amarelo durante o período de enfrentamento da covid-19”, disse o presidente.

‘MEU CHAPA’

A ideia da reedição da medida foi sugerida no domingo por Alcolumbre também nas redes sociais. No sábado, Bolsonaro chamou o senador de “meu chapa” e disse que acreditava na votação do texto a tempo de caducar, mas não detalhou se tinha articulado acordo com Alcolumbre para isso.

O programa Verde Amarelo foi criado pelo governo no ano passado com o objetivo de reduzir encargos trabalhistas para empresas e, com isso, estimular a geração de empregos. O incentivo valeria para a contratação temporária de jovens de 18 a 29 anos e pes­soas acima de 55 anos.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*