Minha Cidade, Sua região

Boatos sobre sequestros assustam pais em S.Paulo

Pode ser uma mulher, um casal ou um homem “de tamanho mediano”. Aconteceu “comigo”, “com o meu filho”, “com uma mãe que eu conheço”. As descrições acima aparecem em relatos sobre sequestros de crianças que têm circulado em redes sociais. Segundo a Secretaria da Segurança Pública, não passam de boatos. “Não há onda de sequestros de crianças no Estado de São Paulo e não há nenhum registro deste tipo de crime”, afirma o órgão.

As descrições que têm deixado pais amedrontados são propagadas principalmente em mensagens passadas por WhatsApp. Os autores se apresentam como mães, motoristas de transporte escolar e integrantes de “órgão de investigação” não especificado.

Parte das mensagens faz menção a uma suposta demanda de órgãos. “O PCC deu um salve geral, eles pegaram uma encomenda de órgãos infantis, então, têm de arrumar órgãos de crianças de 1 até 5 anos de idade”, diz um homem que se apresenta como funcionário do “setor de inteligência” . Também essa informação é falsa, ressalta a secretaria.

Segundo a Segurança Pública, por causa da boataria, moradores de São Bernardo chamaram a polícia ao desconfiar de uma mulher que abordava pessoas na rua. Ela era só uma funcionária de um instituto de pesquisa durante expediente.

Em Diadema

Na última segunda-feira (12), espalhou-se pelas redes sociais que um bebê teria sofrido tentativa de sequestro em frente à Unidade Básica de Saúde (UBS) Conceição, em Diadema. No entanto, a Guarda Civil, que atendeu a ocorrência, afirmou que se tratava de uma tentativa de roubo de carro.

Em nota, a CGM informou que realizou, por volta das 10h desta segunda, atendimento a Maria Aparecida Morais da Silva, vítima de assalto e roubo. Ela estava com sua criança no colo e, após desembarcar de seu veículo, estacionado próximo à UBS Conceição, sofreu ameaça de roubo de seu veículo. Na ocorrência, o ladrão queria apenas a chave do seu carro, mas como ela entendeu que o assaltante iria levar o veículo com seu filho, entregou as chaves e correu com a criança em direção à UBS. O criminoso levou o veículo, que depois foi recuperado pela Polícia Militar.

De acordo com o comandante da Guarda Civil Municipal, Valdinar Siliro da Hora, foi investigada a hipótese de sequestro orquestrado de criança, conforme relatou a vítima. Foram solicitadas imagens de câmeras de empresa localizadas na vizinhança e foi observado que o criminoso apresentou interesse apenas em subtrair a chave da vítima, e não a criança.

Além disso a GCM, por meio Observatório Municipal de Segurança, investigou junto às Polícias Civil e Militar do município se houve ocorrências de sequestro orquestrado de crianças em Diadema, o que não foi verificado. Uma manifestação para protestar por mais segurança foi marcada, também pelas redes sociais, para o domingo (18), na Praça da Moça, às 11 horas.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*