Esportes, Outros Esportes

Basquete de luto: morre ex-técnico Brito Cunha, ouro nos Jogos de 1964

Treinador foi presidente da CBB na época áurea do equipe feminina
Treinador foi presidente da Confederação Brasileira de Basquete na época áurea do equipe feminina. Foto: Reprodução/CBB

O ex-técnico da seleção brasileira  masculina de basquete Renato Brito Cunha – medalha de bronze nos Jogos Olímpicos de Tóquio (Japão) em 1964 –  faleceu nesta terça-feira (5), aos 94 anos, em São Paulo (SP). A causa da morte não foi divulgada.

Brito Cunha também foi presidente da Confederação Brasileira de Basketball (CBB) entre 1989 e 1997. No período a frente da entidade, o basquete brasileiro feminino ganhou relevância internacional. Em 1994, a equipe verde e amarela conquistou o título Mundial e dois anos depois foi medalha de prata na Olimpíada de Atlanta (Estados Unidos). Pelas redes sociais – Twitter e Facebook – a entidade postou uma mensagem lamentando o ocorrido.

“Com pesar, a CBB informa o falecimento de Renato Brito Cunha, ex-presidente da Confederação Brasileira de Basketball entre 1989 e 1997 e também técnico da Seleção Brasileira. Brito nos deixou aos 94 anos. Descanse em paz. Como treinador do Brasil, Renato dirigiu o time que conquistou a medalha de bronze na Olimpíada de Tóquio 1964. E também conquistou o ouro com as meninas no Pan de Winnipeg 1967, além de outros títulos nas Américas.”

O ex-presidente do CBB também ainda teve passagens como treinador em clubes como o Flamengo e Fluminense.

Duas perdas em menos de uma semana

O basquete nacional já havia ficado de luto na última quarta-feira (29), quando o ex-jogador Gérson Victalino, de 60 anos, que disputou três  Olimpíadas pelo país (Los Angeles-1984, Seul-1988 e Barcelona-1992), faleceu em decorrência de complicações causadas pela esclerose lateral amiotrófica (ELA), doença degenerativa contra a qual lutava desde novembro do ano passado.

Além da experiência em Jogos olímpicos, o ex-pivô entrou para história ao conquistar a medalha de ouro nos Jogos Pan-Americanos de 1987. Ele fez parte da equipe que venceu a final contra favorita seleção dos Estados Unidos por 120 a 115, em Indianápolis, na casa adversária.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*