Esportes, Futebol

Autocrítica fez Dudu parar com cartões e virar líder

Dudu tira selfie com torcedores após treinamento do Palmeiras no CT. Foto:  Jales Valquer/Fotoarena/FolhapressAntes mesmo de desembarcar na Academia de Futebol, Dudu assumiu papel de destaque no Palmeiras por toda a novela sobre sua negociação. Agora, depois de mais de 100 jogos com a camisa alviverde, o meia-atacan­te tornou-se um dos líderes de um elenco com atletas experientes como Zé Roberto, Edu Dracena, Jean e Fernando Prass.

O símbolo da nova “Era Dudu” está no braço do jogador: a faixa de capitão concedida pelo técnico Cuca depois da lesão grave de Prass, que operou o cotovelo no último mês de agosto. Aos 24 anos, o camisa 7 palmeirense assumiu outro comportamento após uma sessão de autocrítica.

Os muitos cartões de 2015 e a fama de “Bad Boy” – especialmente após o empurrão no ex-árbitro Guilherme Ceretta na final do Paulista daquele ano – incomodaram Dudu, agora o homem que pode levantar o troféu de campeão brasileiro para o Palmeiras – basta um empate amanhã (27), diante da Chapecoense, para o alviverde conquistar o título nacional.

“Eu mudei, sabia que tinha de mudar. Meus companheiros precisavam de mim. Não dava para ficar toda hora tomando cartão bobo, que me prejudicam e prejudicam a equipe. Estou bem tranquilo nessa questão e espero melhorar mais a cada dia”, destacou o jogador.
Os “cartões bobos” tomados por Dudu caíram gradativamente do ano passado para cá. Na temporada 2015, o jogador acumulou 16 advertências (15 amarelos e um vermelho).

Em compensação, Dudu recebeu apenas seis amarelos durante todo este ano, cinco deles no Campeonato Brasileiro. O jogador assumiu para si um papel preponderante diante do alto investimento feito pelo Palmeiras.

Concorrência

O meia-atacante chegou badalado à Academia de Futebol no início do ano passado, após o time de Palestra Itália pagar R$ 19 milhões para o Dynamo de Kiev a fim de vencer a concorrência com o Corinthians.

Agora, em paz consigo após a autocrítica sobre a indisciplina dentro das quatro linhas, Dudu até brinca sobre o alto valor pago para os padrões do futebol nacional.
“Se eu não me engano fiz 108 jogos e posso conquistar o segundo título (venceu a Copa do Brasil no ano passado). O dinheiro foi bem gasto (risos). Se um dia eu for vendido, espero que volte para eles (Palmeiras) o dinheiro, mas espero continuar aqui”, finalizou.

Fernando Prass

Fernando Prass deu mais um passo importante na recuperação da lesão grave que teve no cotovelo direito, operado em agosto. Com cada vez menos limitações, o goleiro participou de treinamento técnico, com duas equipes se enfrentando e possibilidade de choque com atletas de linha.

Cuca avisou que vai relacionar o jogador de 38 anos para a partida de amanhã, mas apenas para Prass participar da festa. O invicto Jailson será o titular, com Vinicius Silvestre no banco.
Com um problema na coxa esquerda, o zagueiro Mina trabalhou com fisioterapeutas e foi praticamente descartado por Cuca para a partida.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*