Política-ABC, São Caetano do Sul, Sua região

Auricchio minimiza índice elevado de abstenções

Beto Vidoski e José Auricchio: “São Caetano passará a ter prefeito e vice-prefeito ativos e trabalhando juntos”. Foto: Eberly Laurindo

Eleito para seu terceiro mandato à frente do Palácio da Cerâmica, o ex-prefeito José Auricchio Junior (PSDB) minimizou ontem (5), durante coletiva de imprensa, o alto índice de abstenções na eleição municipal deste ano – que somadas aos votos brancos e nulos representou 27% do eleitorado, superando o terceiro colocado Fabio Palácio (PR) – ao afirmar que a taxa de renúncia ao voto na cidade foi a menor do ABC. No pleito de 2012, as abstenções ficaram em 10%, enquanto brancos e nulos somaram pouco menos de 9%.

“A abstenção foi a menor do ABC, mas de qualquer maneira foi o maior alerta que a classe política poderia ter tido. É um recado claro e temos que dar uma resposta com trabalho, padrão ético e de responsabilidade e transparência na gestão”, disse. Como reação à mensagem das urnas, Auricchio prometeu implementar “perfil de trabalho” diferente do praticado pela gestão do atual prefeito Paulo Pinheiro (PMDB), derrotado nas urnas no domingo (2).

“Acho que isso é a mudança clara que a cidade espera. São Caetano passará a ter prefeito e vice-prefeito ativos e trabalhando juntos, já que nos últimos quatro anos acabou ficando com o prefeito trabalhando de um lado e a vice rompida. Isso é muito ruim para o coletivo”, afirmou, enaltecendo perfil “jovem” e “enérgico” de seu vice, o ex-vereador Beto Vidoski (PSDB). “Do ponto de vista da administração, haverá mudança na Saúde. Há gargalos e quem ficar responsável pela pasta terá um desafio enorme e imediato”, completou.

O tucano deve iniciar o trabalho de transição para o cargo de comando da cidade já nos próximos dias. Para isso, uma equipe formada por cinco membros passará a se debruçar sobre contratos e convênios firmados pela administração, além da situação financeira da prefeitura. “A transição terá três aspectos básicos: orçamentário e financeiro; contratos e convênios; e gestão de recursos humanos. Há um quarto ponto que pode ser incluído que é a Fundação ABC. Torço muito para que o prefeito faça um bom final de gestão, acredito que todo mundo sairia ganhando”, disse.

Ainda sem nomes definidos, o novo prefeito também garantiu que não repetirá nenhum secretário de suas últimas gestões. “O perfil será iminentemente técnico, naturalmente há compromissos políticos, mas desde que seja prevalente o critério técnico.”

Governabilidade

Com oito vereadores eleitos pela coligação “A Mudança que você conhece” – que reúne, além do PSDB, o PSB, PPS, PSL, PSD e PSDC –, Auricchio disse estar “contente” com o grau de renovação da Câmara. Dos 19 vereadores atuais, apenas seis foram reeleitos para a próxima legislatura. “Há um grau de renovação muito grande, o que é salutar, e com um perfil muito jovem. Isso traz uma expectativa positiva a nível, inclusive, de governabilidade, de projetos e discussão política”, ressaltou.

O tucano rechaçou instabilidade jurídica, por conta do processo das contas de 2012 da prefeitura. “Não concorreria a prefeito se tivesse qualquer pendência que pudesse me colocar em risco. Há uma decisão terminativa da Justiça de primeira instância dando por nulo o acordão do Tribunal de Contas do Estado (TCE) e a sessão da Câmara subsequente. Para reabilitar aquela sessão precisaria de mágica. É factoide jurídico”, afirmou.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*