Esportes, Outros Esportes

Atrás do nono título, Santo André inicia final do Paulista de Basquete Feminino

Atrás do nono título, Santo André inicia final do Paulista de Basquete Feminino
Jogadoras do Santo André buscam primeiro título de expressão após a morte de Lais Elena Aranha. Foto: Angelo Baima/PMSA

O Santo André/Apaba inicia nesta quinta-feira (25), às 19h, a disputa da final do Campeonato Paulista de Basquete Feminino contra o Sesi Araraquara, fora de casa. O jogo terá transmissão da GCS Esportes, em seu canal no YouTube.

Será a primeira partida da série melhor de três. O segundo jogo ocorre domingo (28), no ginásio do Parque Celso Daniel, que poderá receber 50% da capacidade de público. A entrada é gratuita, e o torcedor deve apresentar comprovante de vacinação contra covid-19. Caso seja necessário, o terceiro jogo será disputado na quarta-feira (1º), às 19h, também em Santo André.

Para chegar a mais uma final estadual e buscar seu nono título na competição, a equipe da técnica Arilza Coraça passou por maus momentos, devido principalmente a contusões de atletas importantes. A começar pela armadora Cacá, criada nas categorias de base do Santo André e que estava sendo repatriada, mas que lesionou o joelho e perdeu toda a competição. Depois, com o mesmo problema, a ala Milena – que vinha sendo um dos destaques do time – também se lesionou e está em recuperação.

Nas semifinais, diante do Vera Cruz/Campinas, a equipe andreense venceu os dois jogos e assistiu à ala cubana Ariadna jogar o embate decisivo no sacrifício, com problemas no tornozelo. A jovem Stephanie também está fora. Nada que tire a força e o foco em busca do troféu.

“As meninas foram muito guerreiras até aqui, não desistiram nunca e passaram por cima dos problemas, principalmente por conta das contusões. É uma guerra, e quando um soldado cai, outro o substitui. Estamos muito motivadas para buscar esse título, que será especial, já que, caso ganhemos, será dentro de casa, diante da nossa torcida. Queremos que o público compareça, respeitando os protocolos sanitários, para nos ajudar nesta final”, comentou a treinadora.

O Santo André aposta na capacidade de pontuação das alas Sassá, Jaqueline e Ariadna, além da força da ala/pivô Glenda e da velocidade na armação de Lays. “O time do Sesi é jovem, voluntarioso, gosta de correr bastante em quadra, e não podemos entrar nisso (correria). Não precisamos ter pressa, mas sim escolher sempre a melhor bola, manter a defesa forte e jogar com responsabilidade.”

A decisão terá ainda um brilho nostálgico, já que pode ser o primeiro título de expressão após a morte da lenda do basquete andreense  Lais Elena Aranha. “Ela está sempre presente: no coração, nas lembranças e na quadra. Em todo treino lembramos dela, do seu jeito brincalhão e de como sabia tudo de basquete. Ela sempre fará parte desta história”, finalizou Arilza.

É a primeira vez que Santo André/Apaba e Sesi Araraquara se encontram em uma final. Para chegar à decisão, o time do Interior passou pelo Ituano em três jogos.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*