Esportes, Libertadores

Ataque pouco eficiente preocupa o Palmeiras

Guerra treinou no Allianz Parque, mas é dúvida para o jogo. Foto: Marivaldo Oliveira/Código 19/FolhapressDefesa que ninguém passa ou linha atacante de raça? Para o Palmeiras seguir sonhando com a conquista da Copa Libertadores depois do jogo de hoje (9), às 21h45, no Allianz Parque, contra o Barcelona-EQU, Cuca sabe que precisa dos dois.

O técnico alviverde – que tenta tirar a pressão sobre o elenco há mais de uma semana, dizendo que o “mundo não acaba após a partida” – sabe também que seu conhecimento sobre futebol vai ser colocado em xeque se a derrota por 1 a 0 no jogo de ida das quartas de final não for revertida.

Para fazer os dois gols de que necessita, o time vai precisar construir mais jogadas de gol, o que não ocorreu no Equador, e, principalmente, melhorar sua eficiência.

Nos dois jogos em que Cuca dirigiu o time alviverde na Copa Libertadores, a média de gols feitos pela equipe diminuiu, apesar de a média de chutes ao gol ter se mantido no mesmo nível.

Os mapas de calor – ferramenta usada pelos estudiosos do futebol para saber onde cada jogador ficou durante o jogo – do encontro em Guayaquil dão a pista.

tabela-palmeirasO Palmeiras não frequentou a área adversária. Por isso, a ainda não garantida escalação de Guerra, que tem sido decisivo nas assistências para finalização do time (foram 13 participações em 19), é muito importante.

Sem o artilheiro da equipe, Willian, machucado, Cuca deverá escalar Deyverson. Contratação mais cara da história do clube (R$ 33 mi­lhões), Miguel Borja ficará novamente no banco.

Temor do técnico, o gol tomado em casa é um risco para o Palmeiras. O time dirigido por Guillermo Almada costuma atacar pelas laterais do campo. Além disso, em todas as três vezes que atuou como visitante na Libertadores, com uma derrota e duas vitórias, procurou dominar a posse de bola.

Isso significa que os laterais do Palmeiras terão papel chave no sistema defensivo. O preferido para atuar na direita é Mayke. Porém, com problemas físicos, pode ser substituído por Jean. Do la­do esquerdo, após muitos tes­tes, Cuca definiu Egídio.

Um dos desafios da defesa, no Allianz Parque lotado, será rebater menos a bola para o adversário. Os dados do serviço de estatísticas Footstats mostram que o Palmeiras é o time que mais rebate bolas na Libertadores.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*