Minha Cidade, Regional, Sua região

Associação levanta demandas da população LGBT no ABC

A Associação Viva a Diversidade, em Diadema, realiza levantamento sobre as demandas da população LGBTQIA+ do município e do ABC. A entidade disponibiliza, até novembro, o questionário online “Conhecendo às múltiplas realidades da população LGBTQIA+”,  cujos dados vão servir de  base para a associação buscar, junto aos poderes públicos, novas políticas públicas que melhorem as condições de vida para esse segmento da sociedade, que abrange lésbicas, gays, bissexuais; transexuais, queer (pessoa que transita entre os dois gêneros), e intersexuais.

Segundo Robson de Carva­lho, presidente da Associação Viva a Diversidade, vivemos em um país onde a intolerância e o machismo ainda são muito fortes. “O Brasil é o país que mais mata LGBTQIA+ no mundo. Nosso trabalho é árduo para tentar reverter este quadro, como dizemos no movimento: ‘ nosso trabalho de resistência e luta é todos os dias, agora mais forte com a decisão do Supremo Tribunal Federal (STF), que determinou no dia 13 de junho, que a discriminação por orientação sexual e identidade de gênero passe a ser considerada um crime”, pontuou.

Segundo Carvalho, os dados levantados com o questionário serão essenciais para que se possa reivindicar políticas reais para a população de Diadema e região. “A partir da tabulação dos dados apresentados, pretendemos nos reunir com a Prefeitura de Diadema e também com as prefeituras do ABC, a fim de apresentar o caderno com esses dados e criar um grupo de discussão para conseguir sanar algumas problemáticas apresentadas. Pensamos também em realizar um encontro para apresentação de todos os dados”, afirmou.

Segundo a associação, as demandas para a população LGBTQIA+ vão da criação do Conselho Municipal em Atenção à Diversidade Sexual, de forma a haver maior divulgação e mobilidade nas ações do conselho e seus conselheiros, ao encaminhamento dos registros de atendimento de crimes de intolerância para o Centro de Referência e Combate a Homofobia, a fim de subsidiar o mapeamento dos principais pontos onde tais crimes ocorrem. 

Outra demanda levantada pela associação é a promoção de formação inicial e continuada de gestoras, gestores, operadoras e operadores do direito e agentes sociais na área de segurança pública, enfatizando as relações de gênero, orientação sexual e identidade de gênero, com vistas a eliminar o preconceito, estigma, discriminação e violência à comunidade LGBT, por meio da realização de cursos, palestras, produção e distribuição de material mediático e campanhas educativas, numa perspectiva de direitos humanos.

 QUESTIONÁRIO

Segundo Carvalho, é essencial exigir um olhar sincero e respeitoso à população LGBTQIA+ da região. “Por isso, convido todos a juntarem-se a nós, respondendo o questionário”, destacou.

Serviço – O questionário está disponível no link  http://bit.ly/2m4llx2.

Print Friendly, PDF & Email

2 Comentários

  1. Patricia Santos

    Parabenizo ao Diário Regional pela matéria, isso mostra que nossa luta não será em vão. Além de podermos contar com informativos que nos dão idéia da dimensão que é a luta da comunidade LGBTQIA+… Obrigada.

  2. Quero parabenizar ao Diário Regional pela excelente matéria. É por uma imprensa livre, democrática e com materiais que sempre aborde matérias que aborde a luta das minorias por políticas de inclusão que queremos. A matéria em muito contribuirá para a divulgação da nossa causa. Parabéns a todas e todos.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

*