Economia, Notícias

Após reajuste da Petrobras, gasolina acumula alta de 2,7% nos postos do ABC

Etanol hidratado foi vendido, em média, por R$ 3,551 o litro nos postos do ABC. Foto: Divulgação

Duas semanas após o reajuste de preço promovido pela Petrobras, a ga­solina subiu com mais intensidade nos postos de combustí­vel do ABC nesta semana, mas ainda abaixo do estimado pela estatal.

Pesquisa divulgada ontem (16) pela Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) mostra que a gasolina ficou 2,1% mais cara nos estabelecimentos da região e passou a custar, em média, R$ 3,551 o litro nesta semana, contra R$ 3,478 no levantamento anterior, realizado entre os dias 4 e 10.

Desde o reajuste, porém, a alta acumulada é de 2,7%, ou quase R$ 0,10. Ao anunciar o aumento de 8,1% no preço nas refinarias, a Petrobras estimou repasse aos postos de R$ 0,12 por litro.

A petrolífera atribuiu a majoração à variação dos preços do petróleo, que subiu após a Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep) fechar acordo para corte de produção.

Em outubro e novembro, a Petrobras promoveu duas reduções no preço da gasolina vendida nas refinarias – que, juntas, somaram queda de 5,7% – em decorrência de nova política de preços adotada pela direção da estatal.

Porém, a diminuição não chegou ao bolso do consumidor do ABC porque foi compensada pelo aumento no valor do etanol anidro, que é adicionado à gasolina na proporção de 27%.

Com isso, o preço da gasolina está atualmente mais caro do que antes do primeiro anúncio feito pela Petrobras em meados de outubro.

Etanol também sobe

Nesta semana, o etanol hidratado – que é abastecido diretamente no tanque – também ficou mais caro nos postos do ABC. O renovável subiu 0,68% e passou a custar, em média, R$ 2,639 o litro, contra R$ 2,675 no levantamento anterior.

O aumento no preço do etanol nesta época do ano obedece a efeitos sazonais. Com o fim da safra de cana de açúcar na maioria das regiões produtoras, a oferta do renovável é reduzida nas usinas.

Gasolina vantajosa

Apesar da alta no preço da gasolina, o derivado do petróleo continua mais vantajoso para o proprietário de carro flex pela décima semana consecutiva.

O renovável passou a custar, em média, 75,8% do valor de seu concorrente.

O etanol só vale a pena se custar até 70% do preço da gasolina. De 70% a 70,4%, o uso é indiferente. A partir de 70,5%, a gasolina deve ser a escolhida.

Isso ocorre porque o poder calorífico do renovável equivale a 70% da energia de um propulsor a gasolina.
Durante a safra 2015-2016 da cana de açúcar, o etanol foi vantajoso pelo período de 25 semanas.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*