Últimas Notícias

Após derrota, Doria fala em consciência tranquila sobre risco da previdência

O prefeito João Doria (PSDB) afirmou nesta quarta-feira (28) que está com a “consciência tranquila” e que “cumpriu seu papel” em relação à previdência municipal, cuja votação acabou sendo congelada por 120 dias na Câmara de São Paulo.

Doria afirmou que o Legislativo foi alertado sobre os riscos da falência da capital. “Nosso dever é fazer a gestão da cidade e não a gestão política. O Executivo cumpriu seu papel de mostrar a gravidade desse tema. Esse ano o rombo será de R$ 5,8 bilhões e inibe investimento na cidade”, disse Doria, durante coletiva sobre projeto de concessão do estádio do Pacaembu.

O tucano também atacou o vereador petista Antonio Donato: “Um recadinho para ele que tem memória curta. O governo do qual ele foi secretário, eles colocaram o projeto e retiraram. Ao contrário de nós, que tivemos a coragem tivemos a coragem de fazer. A memória do vereador Antonio Donato é muito seletiva”.

O vice-prefeito Bruno Covas (PSDB), que deve assumir a gestão a partir de 7 de abril, também fez um apelo pela realização da reforma. “No ano que vem, 100% da arrecadação. A gente não consegue brigar com o fato. Ou a gente faz a reforma da previdência ou a gente faz aumento de impostos na cidade de São Paulo”, disse Covas.

CONCESSÃO

A gestão Doria lançou edital para a concessão do estádio do Pacaembu que estabelece pagamento mínimo de outorga de R$ 12,4 milhões à prefeitura. O projeto é uma das bandeiras de campanha de Doria.

A empresa que fizer a proposta de pagamento do maior valor fixo receberá a concessão do equipamento por 35 anos.

O edital será publicado no Diário Oficial nesta quinta-feira (29) e ficará sujeito a consulta pública pelo prazo de 20 dias.

A prefeitura estima que os ganhos para o município durante o período da concessão estão na casa dos R$ 400 milhões.

Entre as condições impostas pela prefeitura, estão o acesso livre e gratuito, e a continuidade das atividades desenvolvidas na área esportiva pela prefeitura. O prefeito afirmou que o Museu do Futebol será mantido.

Doria também repercutiu áudios que levantam suspeitas de corrupção na PPP da Iluminação. A responsável pelo órgão, Denise Abreu, foi gravada em vários áudios e demitida.

“Havendo qualquer fato que determine o risco da isenção, ou seja, a transparência desse processo, [haverá] o imediato cancelamento”, disse Doria.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*