Brasil, Editorias, Notícias

Apoiados por Dilma em campanhas não conseguem se eleger

Candidatos a prefeito que tiveram o apoio da ex-presidente Dilma Rousseff não conseguiram se eleger.

Raul Pont (PT), em Porto Alegre, Jandira Feghali (PCdoB), no Rio de Janeiro, e Alice Portugal (PCdoB), em Salvador, não alavancaram sua candidatura com a presença da petista – que teve o mandato cassado após um processo de impeachment em agosto – em suas campanhas.

Atual prefeito da capital gaúcha, Pont tinha 22% de intenções de voto, segundo pesquisa Ibope, antes de sua campanha veicular vídeo de apoio de Dilma durante propaganda eleitoral na TV, no dia 16 de setembro. Na pesquisa seguinte, publicada no dia 23, havia perdido dois pontos porcentuais.

Com 16,37% dos votos válidos, Pont está fora do segundo turno. Nelson Marchezan Junior (PSDB), com 29,8%, e Sebastião Melo (PMDB), com 25,9%, seguem na disputa.

Em primeira aparição pública oficial após o impeachment, Dilma participou de ato em apoio a Jandira em 21 de setembro. No local, a ex-presidente chegou a dizer que eleger candidata do PCdoB seria um “volta, Dilma”.

Jandira, que possuía 9% de intenções de voto – de acordo com o Datafolha- antes – antes da presença da ex-presidente em seu comício, viu seu desempenho cair para 7% na pesquisa seguinte. Terminou o pleito com apenas 3,34%, na sétima colocação. Marcelo Freixo (PSOL) e Marcelo Crivella (PRB) disputarão o segundo turno.

Alice Portugal participou de evento com a petista em 22 de setembro, em Salvador. Desde então, exibiu gravações com Dilma em sua propaganda eleitoral.

Apesar de não ter experimentado queda no desempenho – que estava em 12% na pesquisa Ibope de 18 de setembro e chegou a 14,56% de votos com 98% das urnas apuradas na capital baiana – e se manter no segundo lugar, Alice ficou longe de seu adversário.

ACM Neto (DEM), com 74% dos votos, foi eleito no primeiro turno.

Capital acriana é a única a eleger candidato petista

Varrido da Grande São Paulo e disputando com força em poucas cidades, o PT conseguiu ao menos vencer no primeiro turno em Rio Branco, Capital do Acre.

Com 98,4% dos votos válidos, o petista Marcus Alexandre conseguiu se reeleger bem à frente da segunda colocada, a peemedebista Eliane Sinhasique, por 55% a 32%.

Em terceiro lugar, ficou Carlos Gomes (Rede), apoiado pela ex-petista Marina Silva, que deixou o partido após sair do Ministério do Meio Ambiente ainda durante o governo Lula. Gomes obteve 8,2% dos votos.

O Acre é governado desde 1999 pelo PT. A sigla é liderada no Estado pelos irmãos Jorge e Tião Viana, respectivamente senador e governador acrianos.

O resultado era esperado. Na disputa pela prefeitura, Marcus Alexandre liderou com folga as pesquisas de opinião. Como vice-prefeita, escolheu Socorro Neri (PSB). Ao todo, a sua coligação reuniu 15 partidos.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*