Editorias, Notícias, Política

Apoiadores do petista fazem romaria para vê-lo dentro de sindicato no ABC

Apoiadores do petista fazem romaria para vê-lo dentro de sindicato no ABC
Apoiadores de Lula se concentram no entorno do Sindicato. Foto: Adonis Guerra/SMABC

Dentro do prédio do Sindicato dos Metalúrgicos do ABC, em São Bernardo uma romaria para prestar apoio ao ex-presidente Lula se instalou na noite desta quinta-feira (5), após a ordem de prisão do petista. Os manifestantes carregavam faixas com mensagens de apoio a Lula e gritam “aqui está o povo sem medo de lutar”.

Lula ficou por mais de duas horas isolado dos apoiadores dentro da sala da presidência do sindicato, onde poucos agraciados podiam entrar.
A quem tentava ver o ex-presidente, a resposta era pouco animadora: “Só autoridades, o pessoal da comunicação e do Instituto Lula”, orientava o sindicalista responsável por regular a entrada.

Por vezes a regra de “quatro por vez” não era seguida, como quando de uma vez entraram o o criador da Mídia Ninja, Pablo Capilé, os deputados do PSOL Ivan Valente e Luiza Erundina e mais três apoiadores, colocados para dentro pela intercessão do senador Lindbergh Farias.

O que Lula fazia lá dentro, além de receber os apoiadores? Discutia com advogados suas possibilidades diante do pedido de prisão do juiz Sergio Moro. A palavra de ordem era resistir: “se prenderem o Lula, vão ter que prender todos nós”, disse uma jovem.

Os senadores Gleisi Hoffmann e Lindbergh Farias e a ex-presidente Dilma Rousseff, além do presidente estadual do Partido dos Trabalhadores, Luiz Marinho; do coordenador do MTST e candidato à Presidência da República pelo PSOL, Guilherme Boulos; e do advogado de Lula, Cristiano Zanin, permanceram no prédio durante a madrugada.

O ex-presidente apareceu na janela do sindicato durante a madrugada e cumprimentou a militância que aguardava do lado de fora do prédio em vigília.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

*