Política-ABC, São Bernardo do Campo, Sua região

Ao completar 100 dias de gestão, Morando comemora economia de R$ 100 milhões

Morando: “nossa meta é pagar 100% dos restos a pagar até o final deste ano”. Foto: Eberly Laurindo especial para o DRAo completar, ontem (10), 100 dias de governo, o prefeito de São Bernardo, Orlando Morando (PSDB), afirmou que conseguiu economizar R$ 100 milhões dos cofres municipais, resultado do corte de R$ 1 milhão em gastos diários desde que tomou posse, no dia 1º de janeiro. Com isso, a administração reduziu à metade a dívida em restos a pagar (R$ 200 milhões) deixada pelo antecessor, Luiz Marinho (PT).

“Nestes 100 dias, nossa marca é a responsabilidade e o respeito ao dinheiro público. Conseguimos cumprir nossa meta e economizar R$ 100 milhões com austeridade e corte de desperdícios na administração”, afirmou o tucano, durante entrevista exclusiva concedida ao Diário Regional.

Entre as medidas de austeridade adotadas pelo prefeito figuram a redução no número de cargos comissionados, o desconto em contratos vigentes, a devolução de carros oficiais, a redução no número de horas extras, a diminuição de consumo de água e a redução na quantidade de imóveis alugados.

Somente na renegociação de contratos, a administração obteve descontos que somam R$ 19 milhões. “Ninguém recebeu pelas dívidas (de restos a pagar) sem dar desconto”, revelou Morando, ao destacar que a obrigatoriedade consta de decreto assinado ainda nos primeiros dias da gestão. “Nossa meta é pagar 100% dos restos a pagar até o final deste ano e entrar em 2018 com a cidade saneada”, prosseguiu.

Apesar do rigoroso plano de contenção de gastos, o chefe do Paço comemora a conclusão de obras e o lançamento de programas, como o Nova São Bernardo, de zeladoria pública; o Saúde Prioridade, para acabar com a fila de espera em exames e consultas, que já contabiliza a realização de 5 mil procedimentos, de um total de 70 mil que compõem a demanda reprimida na rede pública; e o Educar Mais, de implementação do ensino integral nas escolas municipais, com 1.200 crianças contempladas na primeira fase.

“Tenho certeza de que a população começa a descobrir um novo modelo de gestão, até porque nosso governo tem se pautado pelo cuidado com a cidade e pela transparência nas ações. A população percebeu que São Bernardo tem uma nova zeladoria”, disse Morando.

Lei Parede Limpa

O prefeito destacou também a instituição das leis Parede Limpa e das Concessionárias. A primeira estabelece multa a quem for flagrado pichando o patrimônio público e privado da cidade, enquanto a segunda autoriza o município a cobrar das concessionárias de rodovias que cortam o município as despesas médicas e hospitalares decorrentes de acidentes ocorridos nessas estradas.

A Polícia Civil e a Guarda Civil Municipal (GCM) fizeram oito flagrantes de pichação desde a sanção da Lei Parede Limpa, no dia 16 de março. Além disso, segundo o tucano, mutirões realizados pelos servidores já limparam 60 prédios públicos. “Ser prefeito de uma cidade que está toda pichada me constrange”, disse.
Morando comemorou ainda a retomada do Pavilhão Vera Cruz após a rescisão, no último dia 31, do contrato de concessão do equipamento à Telem SA, assinado em agosto de 2015 e que duraria 30 anos. A prefeitura argumenta que a empresa teria descumprido o contrato em várias oportunidades.

“Não imaginava que as pessoas tinham um carinho tão grande pelo Vera Cruz”, comentou o tucano, ao destacar como acertada também a decisão de retirar os vendedores ambulantes da Praça Lauro Gomes, situada no Centro. “Tivemos a coragem de tirar os ambulantes sem autorização de lá e devolver a praça à população. São medidas que não oneraram a prefeitura, mas tiveram boa repercussão.”

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*