Arte & Lazer, Teatro

Andrea Beltrão encena ‘Antígona’ no Sesc Santo André

Clássico verbaliza a condição humana e a necessidade de insurgências em tempos de exceção. Foto: DivulgaçãoConsiderada pelo filósofo alemão G.W.F Hegel uma tragédia ao mesmo tempo antiga e moderna, por discutir direito natural e o conceito ocidental de justiça, “Antígona”, de Sófocles, pertence à última parte da trilogia tebana, iniciada pela saga de Édipo Rei. A versão do diretor Amir Haddad para o clássico, com interpretação de Andrea Beltrão, tem uma curtíssima temporada no Sesc Santo André, entre hoje (21) e domingo (23), com sessões na sexta-feira, às 21h; no sábado, às 20h; e no domingo, às 18h. Os ingressos custam até R$40.

Após 2.400 anos de sua primeira montagem na Grécia Antiga, a peça apresenta um eterno retorno às raízes do mito, da obra, do autor e dos pilares da cultura e da civilização ocidentais. No plano simbólico e filosófico, a narrativa de Antígona remete às tensões entre o divino e o humano, à temporalidade dos deuses, à angústia humana diante da imortalidade, à justiça como uma benevolência dos deuses e às dimensões ética e humana. Sófocles abre, também, uma dimensão política e existencial, a partir do tema da morte.

Com tradução de Millôr Fernandes e dramaturgia de Amir Haddad e de Beltrão, o espetáculo atesta a vertiginosa capacidade das tragédias gregas de mostrar o dilaceramento da razão frente às paixões da alma; a condição humana sempre levada pela incerteza das contingências e pela tardia chegada da consciência diante dos acontecimentos.

Serviço – “Antígona”. Quando: hoje, às 21h; amanhã (22), às 20h; e domingo (28), às 18h. Sesc Santo André, rua Tamarutaca, 302 – Vila Guiomar – Santo André. Telefone: (11) 4469-1200. (Reportagem Local)

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*