Minha Cidade, Santo André, Sua região

‘Amigos da Praça’ reduz burocracia para adoção de áreas verdes em Santo André

empresa Copafer é amiga da Praça São Jorge, na Vila Príncipe de Gales. Foto: Ricardo Trida/PSAA Prefeitura de Santo André lançou ontem (26) o programa “Amigos da Praça”, que tem o objetivo de desburocratizar o acesso de pessoas físicas e jurídicas na conservação e manutenção de praças e áreas verdes. Antes mesmo de ser lançado oficialmente, o programa já disponibilizou neste ano 13 espaços para empresas e munícipes. A cidade possui 300 praças e, antes da adaptação do antigo projeto vigente, a administração tinha conseguido a adoção de apenas 15 áreas em 18 anos. A empresa Copafer é amiga da Praça São Jorge, na Vila Príncipe de Gales, local onde aconteceu o evento de lançamento do programa.

O novo modelo simplifica a documentação para a participação de pessoas físicas, sendo necessária, apenas, a apresentação de RG, CPF e comprovante de residência. Para a iniciativa privada, como contrapartida, será disponibilizada uma imagem publicitária da empresa com nome e logo da mesma, ou no caso de pessoa física, o nome da pessoa constará na placa afixada na área verde. Será fornecido ainda um selo verde com contato direto com o Departamento de Parques e Áreas Verdes (DPAV).

Obrigações

Dentre as obrigações da empresa/pessoa amiga da praça estão a irrigação da área vegetada sempre que houver plantios ou em períodos de estiagem prolongada. As peças de mobiliário urbano seguirão padrão adotado pela prefeitura, devendo obedecer critérios de preservação, aparência e condições de segurança. O procedimento para interessados em participar do programa devem enviar um e-mail para programaamigosdapraca@gmail.com informando a área e localização de interesse. A partir disso, será realizado o chamamento público que indicará data, hora e local para que interessados apresentem documentação.

“No nosso governo as parcerias com a iniciativa privada são mais presentes, uma saída encontrada para superar o déficit orçamentário deixado na cidade. Somos acostumados a crer que os governos têm de fazer tudo sozinho, mas o modelo por si mostrou que o poder público sozinho não dá conta. Plantar a semente na cabeça de cada um potencializa o projeto e colabora na conservação e manutenção dos espaços públicos”, destacou o prefeito Paulo Serra (PSDB).

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*