Histórias da gente

Aluna da EJA de Santo André se forma bióloga e ministra palestra para alunos da rede municipal

Atualmente Adriana faz pós-graduação em ecologia urbana, além de realizar monitorias ambientais e palestras. Foto: Angelo Baima/PSA
Atualmente Adriana faz pós-graduação em ecologia urbana, além de realizar monitorias ambientais e palestras. Foto: Angelo Baima/PSA

Adriana Martim Aranda precisou  abandonar os estudos aos 8 anos para ajudar a mãe a sustentar a casa. Com o pai e a irmã doentes, realizou diversas atividades para contribuir com a renda familiar.

Um exemplo de dedicação e perseverança. Dessa maneira pode ser descrita a história de Adriana Martim Aranda, que foi alfabetizada na Educação de Jovens e Adultos (EJA) de Santo André e se formou em biologia. “Foi a vontade de estudar e ser alguém na vida que me motivou a ingressar na EJA”, conta.

Aos 44 anos, Adriana lembra da fase em que precisou  abandonar os estudos, aos 8 anos de idade, para ajudar a mãe a sustentar a casa. Com o pai e a irmã doentes, realizou diversas atividades para contribuir com a renda familiar.

Foi somente depois de adulta, quando se casou, que Adriana decidiu retomar os estudos que parou na terceira série, recebendo apoio do marido e da mãe. Neste momento, a Educação de Jovens e Adultos foi a solução. “Os professores sempre me acolheram com carinho. Fiquei surpresa e motivada para seguir em frente. Estes profissionais se tornaram fonte de motivação para mim”, destaca Adriana, que cursou a EJA na Emeief Vereador Manoel de Oliveira, no Jardim das Maravilhas.

Em Santo André, as aulas da Educação de Jovens e Adultos são realizadas em 18 Emeiefs (Escolas Municipais de Educação Infantil e Ensino Fundamental) e cinco Centros Públicos de Formação Profissional. Nos Centros Públicos (EJA I e EJA II) e em cinco Emeiefs (EJA II), o ensino fundamental está integrado ao ensino profissionalizante (EJA FIC), ou seja, nestas unidades os alunos, além da elevação de escolaridade, também recebem certificação profissionalizante.

Adriana conta que ficava encantada com as matérias e sabia que só conseguiria atingir seu sonho se estudasse e se formasse. “Como aluna, fui muito dedicada e me tornei parceira dos meus professores para driblar minhas dificuldades. Sou grata a estes mestres que tomam a frente da sala de aula e dedicam parte da sua vida para transmitir o conhecimento. Eles são fantásticos”.

A trajetória dos estudos teve início com 32 anos e aos 38 ela concluiu a formação do ensino fundamental e ensino médio. Depois dessa grande conquista, sentiu a necessidade de ingressar em uma faculdade. “Em 2015 prestei vestibular e não passei em biologia. Fui explorar o universo da dança, minha outra paixão, mas após o falecimento da minha mãe, em 2016, não tive mais vontade de seguir esse caminho e apostei novamente na carreira de bióloga, profissão que minha mãe sempre torceu para que eu desempenhasse”, afirma.

O primeiro estágio do curso de biologia da Faculdade Anhanguera foi no BioParque Macuco, que é mantenedor de fauna silvestre. Adriana afirma orgulhosa que até hoje frequenta e participa das atividades no local. A bióloga fez também estágio no borboletário de Diadema e no Zoológico do Parque Estoril, locais que contribuíram para a sua formação. “Foram os quatro anos mais lindos da minha vida. Ia e voltava da faculdade sorrindo. O contato com os animais sempre foi incrível e prova que biólogo não se forma, ele nasce biólogo”, conta Adriana, nostálgica.

Atualmente Adriana faz pós-graduação em ecologia urbana, além de realizar monitorias ambientais e palestras. A andreense destaca que, em breve, irá ingressar na pós-graduação de manejo e conservação da fauna silvestre.

Palestra para a EJA – Nesta sexta-feira (20), Adriana esteve na Emeief Machado de Assis ministrando palestra sobre o Meio Ambiente para alunos da EJA das Emeiefs Machado de Assis e Chico Mendes.

“Nós somos o Meio Ambiente. Minha proposta com esse encontro é compartilhar informações para que as pessoas tenham conhecimento da importância da nossa fauna e flora, do ar que a gente respira, de não poluir as nossas águas, e não contaminar nossos solos. Só podemos preservar o que conhecemos, por isso falo desses temas para proporcionar consciência ambiental em nosso meio”, enfatiza Adriana.

Adriana finaliza com um emocionante recado. “A EJA é o coração das pessoas que não tiveram a oportunidade de estar em uma sala de aula e traz acolhimento. Conhecimento é uma herança que levamos para a vida toda. Sou filha da EJA e tenho muito orgulho de ter participado de um dos projetos mais lindos que a Prefeitura oferece. Torço para que todos esses alunos futuramente lembrem da força que tiveram para chegar até o fim. Não desistam”, conclui.

Matrículas – A Educação de Jovens e Adultos de Santo André conta com cerca de 2,5 mil alunos matriculados. Os interessados em ingressar nas aulas da EJA devem entrar em contato pelos telefones 4468-4296 ou 4468-4297 para mais informações. Os endereços das unidades está disponível no link psa.santoandre.br/EJA

As matrículas para EJA I, EJA II e EJA FIC estão abertas até 30 de setembro de 2022 e é necessário procurar a unidade com EJA mais próxima de casa com cópia do RG, comprovante de endereço e histórico escolar. Caso a pessoa não possua histórico escolar, a escola ajudará a buscar as informações necessárias.

Print Friendly, PDF & Email

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

*