Esportes, Olimpíadas

Alison dos Santos faz história com bronze nos 400m com barreira em Tóquio

Gigante! Com 1,98 metro de altura e passadas largas, Alison dos Santos, 21 anos, alcançou feito gigante nesta terça-feira (3) nos Jogos Olímpicos de Tóquio ao conquistar o bronze nos 400 metros com barreiras. Foi a primeira medalha do Brasil na prova em toda a história e também a primeira no atletismo na Olimpíada no Japão.

Em uma prova espetacular, com quebra de recorde mundial, Alison foi muito bem principalmente nos metros finais, garantindo o terceiro lugar com boa vantagem para o quarto colocado. O ouro ficou com o fenômeno norueguês Karsten Warholm, que marcou 45s94 e pulverizou o recorde mundial. O medalhista de prata foi o norte-americano Raj Benjamin (46s17).

Com o tempo de 46s72 obtido nesta terça-feira no Estádio Olímpico de Tóquio, Alison quebrou o recorde sul-americano novamente. A marca dos três primeiros colocados foram as três melhores da história, evidenciando o altíssimo nível técnico da final desta prova.

A trajetória desse paulista de São Joaquim da Barra (SP) em uma prova na qual o atletismo brasileiro não tem tanta tradição é surpreendente. Alison foi o primeiro atleta do país a correr a prova abaixo de 48 segundos. Somente nesta temporada já havia quebrado o recorde sul-americano cinco vezes antes de conquistar a inédita medalha em Tóquio.

Alison consegue aliar sua capacidade física – só de pernas tem 1,12m – com raro talento. Quando completou 16 anos, por exemplo, começou a disputar provas na categoria adulta. Quando fez 18 anos, quebrou o recorde sul-americano sub-20.

Com dez meses de idade, Alison sofreu um acidente doméstico. Uma frigideira com óleo virou sobre si, e ele ficou meses internado para tratar das queimaduras de terceiro grau na cabeça, ombros, peito e braços.

Alison traz as cicatrizes daquele acidente até hoje. A mais evidente é uma falha no cabelo. Quando criança, Alison tentou ser judoca. Foi nesse período que ganhou o apelido de Piu. O garoto trocou o tatame pelo atletismo e hoje é medalhista olímpico.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*