Minha Cidade, São Bernardo do Campo, Sua região

Alckmin pede votos para Orlando Morando

Após passagem por Mauá, o governador de São Paulo Geraldo Alckmin (PSDB) retornou à região ontem (26), para participar de ato de campanha do candidato à Prefeitura de São Bernardo Orlando Morando (PSDB). Durante a visita, Alckmin fez críticas ao PT e defendeu a proposta de substituição do projeto do Museu do Trabalhador – em construção da Praça Samuel Sabatine – pela instalação de unidade do programa Fábrica de Cultura.

“Temos um modelo muito bem-sucedido que é o programa de Fábrica de Cultura, o qual procura identificar áreas de maior vulnerabilidade juvenil e oferecer programas de teatro, cinema, e atividades culturais”, disse. O projeto do governo estadual já funciona em 11 endereços da Capital e uma nova unidade está sendo implementada em Diadema. “O ABC, por sua importância, merece ter mais dessa atividade. É questão de analisar mais para frente, mas quero estimular todo investimento na área de cultura e educacional”, completou.

Idealizado como homenagem à classe trabalhadora da região, o Museu do Trabalhador começou a ser construído em 2012, por meio de investimentos do Ministério da Cultura. A obra está orçada em R$ 18 milhões e é uma das promessas do segundo mandato do prefeito Luiz Marinho (PT).

A atividade eleitoral também teve participação do senador José Aníbal (PSDB) e do presidente do PSDB, Pedro Tobias, além de aliados do tucano. Em um carro de som, a comitiva percorreu por cerca de 20 minutos a rua Marechal Deodoro, um dos principais centros comerciais da cidade. “É triste ver lojas fechadas. Isso é fruto de uma política errada colocada em prática pelo PT, que afundou o Brasil e São Bernardo também. Essa cidade já ficou marcada por ser a capital do trabalho e hoje é triste saber que o PT a transformou na capital do desemprego”, discursou Morando em carro de som.

Ao lado de Alckmin, o tucano também criticou a reforma da merenda escolar implementada pela gestão de Marinho. “Chega de uniforme atrasados, chega de crianças com fome na escola. É de criar indignação o prefeito tirar a merenda dizendo que as crianças estão obesas. Isso é não conhecer a periferia, é não conhecer a realidade”, prosseguiu.

Metrô e piscinão 

Na agenda, o governador afirmou estar “em cima” do governo federal para pressionar a liberação de financiamento para continuidade das obras da Linha-18 do metrô, que ligará o ABC à Capital. “Uma linha de metrô não é coisa pequena para se fazer sem financiamento. Temos dois pleitos em termos de financiamento com a área federal. Um é a Parceria Público-Privada (PPP) dos hospitais e o segundo é a linha 18”, disse.

Questionado sobre a promessa de repassar R$ 50 milhões para a obra de cobertura do piscinão do Paço, Alckmin desconversou. “Temos procurado a ajudar os 645 municípios de São Paulo. Em nenhum município deixamos de fazer convênio, parcerias ou de trabalhar juntos. Ninguém faz nada sozinho, mas unindo esforços faremos o melhor trabalho”, disse. A atual gestão culpa o atraso no repasse pela não conclusão da cobertura ainda em 2016.

Morando, Alckmin e Lima, durante agenda de campanha na região central do município. Foto: Eberly Laurindo

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*