Minha Cidade, São Bernardo do Campo, Sua região

Alckmin autoriza Fábrica de Cultura no lugar do Museu do Trabalhador

Alckmin autoriza Fábrica  de Cultura no lugar do  Museu do Trabalhador
Obras está embargada; ideia era criar uma instituição em homenagem os movimentos sindicais do ABC. Foto: Arquivo

O governador Geraldo Alckmin (PSDB), pré-candidato a presidente, autorizou nesta terça-feira (27) a construção de uma Fábrica de Cultura no prédio onde seria o “Museu do Lula”, como é conhecido o projeto do Museu do Trabalho e do Trabalhador, em São Bernardo do Campo.

Vitrine da gestão tucana no setor, a Fábrica de Cultura do município deverá ser a segunda fora da capital paulista, depois da de Diadema, cuja obra foi entregue pelo governador também nesta terça. Com isso, Alckmin atendeu a pleito do prefeito de São Bernardo, Orlando Morando (PSDB), desde a campanha eleitoral de 2016.

Licitação
A licitação do Museu do Trabalhador foi feita em 2010, último ano de Lula na Presidência, quando o prefeito de São Bernardo era Luiz Marinho, hoje pré-candidato à sucessão de Alckmin pelo PT. A ideia era criar uma instituição em homenagem os movimentos sindicais do ABC, berço político de Lula.

Há cerca de um ano e meio, porém, a obra foi embargada. Duas ações tramitam na Justiça com Marinho entre os alvos por suspeita de superfaturamento e outras irregularidades. O petista nega ilegalidades.

“As coisas se fazem entre um passo e outro, o próximo passo tem que ser na educação, na cultura. O famigerado museu virará uma fábrica de educação e cultura para São Bernardo”, discursou Alckmin em São Bernardo.

A prefeitura tem um TAC (termo de ajustamento de conduta) com o Ministério Público e o Ministério da Cultura para fazer no prédio o equipamento cultural.

Morando comemorou o aval de Alckmin. “Esse museu se tornou o maior símbolo de escândalo da nossa cidade. Esse empenho da gestão em modificar o destino para uma Fábrica de Cultura é um anseio da sociedade”, discursou.

À época das denúncias, a assessoria de Marinho afirmou que o ex-prefeito “tem absoluta convicção da lisura do processo de licitação e obra e do Museu do Trabalho e do Trabalhador, e estranha que não tenha sido notificado pela Justiça antes da informação ser divulgada pela imprensa”.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*