Brasileirão, Esportes

Aguirre tem sua pior sequência no comando do São Paulo

O momento ruim vivido pelo São Paulo e o fato de ter caído da liderança para a quarta posição no Brasileirão ainda parece não ter abatido os jogadores do São Paulo. Pelo menos esse é o discurso de um dos principais líderes do elenco, o atacante Diego Souza.

“Jogar a toalha como? Temos dez rodadas para o final do campeonato e chances claras de conquistar nosso objetivo de ser campeão brasileiro”, afirmou o camisa 9 tricolor à TV Globo. “Claro que é um momento delicado, de juntar forças como equipe para depois falar em título, mas jogar a toalha jamais”, prosseguiu o atacante.

Quatro pontos atrás do Palmeiras, o líder do Nacional, os são-paulinos se reapresentaram na segunda-feira, com portões fechados, para os treinos da semana.

A ideia da diretoria, da comissão técnica e do grupo é tentar encontrar os motivos que fizeram com que a equipe tivesse queda brusca de rendimento e encontrar rapidamente as soluções.

Depois de encerrar o primeiro turno do Nacional na ponta, com 41 pontos e aproveitamento de 71,9%, o Tricolor parou. No returno, foram apenas duas vitórias em nove partidas – aproveitamento de 40,7%.

Diego Souza, contudo, acredita na recuperação. “Eu já vinha falando isso havia um bom tempo. Quando faltassem dez rodadas seria um outro campeonato e teríamos de chegar nessas últimas dez rodadas com possibilidade de título”, destacou.

“Conseguimos nosso primeiro objetivo. Agora é vencer o Inter para voltar tudo ao normal”, finalizou.

O São Paulo terá confronto direto com o Internacional no domingo, em Porto Alegre.

PIOR SEQUÊNCIA

Desde que assumiu o São Paulo, em março desde ano, Diego Aguirre vive sua pior sequência. A equipe está, pela segunda vez sob sua tutela, há quatro jogos sem conquistar uma vitória.

Este é o número máximo de confrontos que o uruguaio ficou sem conseguir obter um triunfo até agora.

Logo no início de seu trabalho, o comandante somou quatro empates: um pela Copa do Brasil, contra o Atlético-PR, e mais três no início do Brasileiro, totalizando  aproveitamento de apenas 33,3% nesta série específica.

Na atual sequência, o comandante soma uma derrota e três empates no Nacional. O aproveitamento é de 25% na série, a pior desde que Aguirre chegou ao Morumbi.

Não à toa, Aguirre tem começado a sofrer com a pressão vinda das arquibancadas. Contra o América-MG e diante do Palmeiras, o uruguaio teve de conviver com vaias e gritos de burro.

Apesar disso, o treinador continua sendo prestigiado pela diretoria, que acredita e confia no seu trabalho.

 

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*