Diadema, Minha Cidade, Sua região

Acaesp, de Diadema, segue na busca de apoio para programas sociais e culturais

Acaesp desenvolve projetos culturais e sociais. Foto: Divulgação
Acaesp desenvolve projetos culturais e sociais. Foto: Divulgação

A Associação Cultural Artística e Esportiva de São Paulo (Acaesp), idealizada pela artista Sonia Fares e fundada em 1º  de novembro de 2005, segue na luta para manter suas atividades. Com estatuto amplo e condições de atuar em âmbitos nacional  e internacional nas principais áreas do desenvolvimento humano –  Educação, Cultura, Artes, Esporte, Ciência e Meio Ambiente – enfrenta dificuldades para obtenção de recursos e apoio do poder público.

“No Brasil existe um desprezo programado pela Educação e Cultura que são as grandes molas mestras e irmãs gêmeas do progresso e sem se esquecer da ilustre ciência que também não se tem um olhar sobre a sua grande relevância. Os profissionais ligados a essas áreas aqui no Brasil têm de se preparar e entender o tamanho do problema que afeta a vida de milhões de pessoas que são vitimas da falta de vontade política dos governantes em âmbito municipal, estadual e federal. Os orçamentos não privilegiam os principais motores do desenvolvimento de um país. A maioria não se preocupa em descumprir o que a legislação prevê e, no caso da cultura, acreditam que financiar projetos culturais seria perda de arrecadação”, destaca o presidente da entidade, Neivaldo Costa.

Segundo o presidente da instituição, a batalha da entidade para obtenção de recursos vem desde a fundação. Sediada em Diadema, a Acaesp iniciou uma luta intensa para defender a cultura no município. “Movemos muitas ações e fóruns para regularizar a Lei que não era usada para os artistas da cidade que previa o uso de 20% de desconto do IPTU e ITBI para projetos culturais. Em setembro de 2007, após muita insistência junto à Secretaria de Cultura, conseguimos enviar 13 projetos (à Câmara), dentre os quais Arte terapia nas empresas; Arte é profissão – projeto de bolsas de cursos de artes para crianças carentes -; Exposição Itinerante de artes nas empresas; Sarau Cultural de Diadema; e Copa ACAESP em diversas modalidades esportivas. Porém, nenhum foi aprovado”, afirmou.

Em 2011 a Acaesp conquistou o registro no CMDCA (Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente).  Entretanto, quatro anos depois, a entidade teve dificuldades em renová-lo. “O registro da Acaesp junto ao CMDCA encerrou-se em 2015 e tivemos uma dificuldade ainda maior para renovar, pois demorou quase dois anos. O CMDCA solicitou documentação, que foi entregue no dia seguinte, mas nos foi exigido que atendêssemos de forma voluntária crianças de necessidade especial. Então, desenvolvemos o Projeto: A Grande Ferramenta da Arte Frente ao Autismo e passamos a atender a exigência. Entretanto, a visita não era realizada para que nos fosse concedida a renovação do registro. Além disso,  também nos foi solicitado apresentar este projeto no CAPS e no CAIS”, destacou Costa.

O presidente afirmou que mesmo após o cumprimento das exigências, a visita do CMDCA não acontecia e a renovação do registro também. “Sem alternativa, fomos à Câmara Municipal solicitar ajuda. No inicio de 2018 falamos na  Tribuna Livre e rapidamente foi concedida nossa renovação de registro e atestado de funcionamento.”

AJUDA

Costa destaca a ajuda que a Acaesp teve do deputado Said Mourad, que destinou emenda para o projeto Arte na Praça. “Os demais projetos, exposições  e eventos que realizamos foram de caráter filantrópicos e custeados por nós mesmos. Esses projetos filantrópicos nos ajudaram a ter os títulos de Utilidade Pública Estadual em 2012 e Utilidade Publica Municipal.”

Em 2018 o Projeto A Grande Ferramenta da Arte Frente ao Autismo foi aprovado pela Lei Rouanet. Porém, a entidade ainda está em processo de captação do recurso para ampliar o atendimento, que é projetado para 100 crianças,

“Em função da grande dificuldade  resolvemos fazer  reportagens na mídia regional citando as dificuldades de não ter ajuda do poder público e a necessidade de trabalhar com crianças com o Transtorno do Espectro Autista (TEA), bem como estamos tentando recursos através de doações”, pontuou.

Em 2019 a entidade conquistou a cadeira no COMPEDE (Conselho Municipal de Pessoas com Deficiência)  e no CMCDA. Em maio de 2019 a Acaesp foi convidada a participar de forma ativa na Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo, com representação nas Frentes Parlamentares de Defesa dos Direitos da Pessoa com Deficiência, com ênfase nas Políticas Públicas para pessoas com Transtornos do Espectro Autista(TEA), de acessibilidade para o Autismo(TEA), de apoio e combate ao Câncer e de Defesa dos Direitos das Pessoas Portadores de Deficiência.

“Este ano conseguimos aprovação do Google Ad Grants onde nos concede US$ 10.000 mil dólares mensais em forma de anúncios para divulgarmos a nossa causa mundial do autismo e de outros projetos da entidade. A Acaesp também conseguiu aprovação no Facebook e no Instagram para receber doações, mas estamos em processo de construção porque é necessário ter um volume significativo de seguidores. Estamos também em processo final de aprovação na Nota Fiscal Paulista, onde poderemos atender muitas crianças, adolescentes e jovens de toda a cidade com cursos de desenho, e áreas profissionalizantes como desenho digital.”

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*