Política-ABC, Regional, Sua região

Abstenção nos sete municípios foi de 26,4% no 1º turno

No último domingo, 552,1 mil dos 2,093 milhões de eleitores aptos a votar na região não compareceram às urnas
No último domingo, 552,1 mil dos 2,093 milhões de eleitores aptos a votar na região não compareceram às urnas

O 1º turno das eleições municipais deste ano confirmou as expectativas e registrou no ABC a maior taxa de abstenção da história.
No último domingo (15), 552,1 mil dos 2,093 milhões de eleitores aptos a votar na região não compareceram às urnas, o que corresponde a uma taxa de abstenção de 26,4%.

Em 2016, a taxa ficou na casa de 20%, como resultado da ausência de 412,8 mil dos 2,068 milhões de eleitores.

Especialistas apontam que, além do medo de contrair a covid-19, a descrença de boa parte da população na clas­se política do país e o baixo valor de multa cobrado de quem não comparece tam­bém contribuem para afugentar o eleitorado das urnas.

O índice de abstenção do ABC ficou acima da média nacional – que, segundo o presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), Luís Roberto Barroso, registrou 23,1%.

No último domingo, ao fa­­zer um balanço sobre o 1º tur­­no, Bar­roso comemorou o ín­dice, já que anteriormente havia previsto abstenção na casa dos 30%. O nível histórico no país é de 20%.

“(É um índice) Extraor­di­nário, porque nas últimas eleições foi mais de 20% e, nesta eleição, 23% em meio a uma pandemia. Mais um dado que precisamos co­me­morar”, disse o ministro.

Nos sete municípios, a ta­xa de abs­tenção variou entre 22,3%, em Rio Grande da Serra, e 28,9%, em Santo André (veja tabela acima).
Em Mauá, o número de ausências (72.020) foi maior do que a votação recebida pelo prefeito e candidato à reelei­ção, Atila Jacomussi (PSB), que liderou o 1º turno com 70.490 votos e vai enfrentar Marcelo Oliveira (PT) na segunda etapa.

No corte estadual, São Paulo e Rio de Janeiro tiveram os maiores índices de abstenção no 1º turno das eleições municipais. O número de eleitores faltosos alcançou 27,3% e 28%, respectivamente.

No sentido contrário, os Estados que registra­ram os menores índices foram Piauí (15,4%), Paraíba (15,7%), Ceará (16,9%) e Ama­zonas (19%).

NÃO VOTO

Ainda segundo o TSE, a região registrou 233.423 votos nulos ou em branco para prefeito, o que representa 15,1% do total.
Assim, o “não vo­to” – como é chamado o contingente que não votou ou não escolheu candidato – somou 785.524 eleitores, ou 37,5% do eleitorado regional.

ATRASO

Barroso explicou que o atraso de três horas na divulgação dos resultados do primeiro turno foi causado por uma falha no sistema de inteligência artificial de um computador.

O ministro disse que o supercomputador responsável pela totalização e divulgação dos votos chegou ao tribunal em agosto, devido à pandemia da covid-19, e não houve tempo necessário para fazer todos os testes antes do primeiro turno. O equipamento foi comprado em março.

Durante coletiva de im­prensa, o ministro informou que a Oracle, empresa responsável pelo computador que apresentou defeito, se­rá acionada para resolver o pro­ble­ma até o 2º turno, que será realizado no dia 29.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*