Minha Cidade, Regional, Sua região

ABC avança à Fase 3 do Plano SP, que permite reabertura de restaurantes e salões de beleza

ABC avança à Fase 3 do Plano SP, que permite reabertura de restaurantes e salões de beleza
Flexibilização começará no dia 6 de julho e está condicionada à manutenção da região na classificação amarela na semana que vem

O governo do Estado anunciou nesta sexta-feira (26) que o ABC avançou da Fase 2 (laranja) para a 3 (amarela) do Plano São Paulo de flexibilização da quarentena, que foi estendida até 14 de julho. A Fase 3 permite a reabertura de bares, restaurantes e salões de beleza.

Também avançaram para a cor amarela a Capital e a subregião sudoeste da Grande São Pau­lo, que reúne municípios co­mo Co­tia e Taboão da Serra.

Porém, atendendo ao pedido do Centro de Contingência do Coronavírus, a reabertura de restau­ran­tes e salões de beleza está condicionada à manutenção do ABC na Fase 3 na próxi­ma atualização do Plano São Paulo, com divulgação prevista para 3 de julho. Se a região confirmar a classificação amarela, esse­s se­gmentos poderão retomar o atendimen­to presencial no dia 6.

Também é preciso que os pre­feitos autorizem a reabertu­ra por meio de decretos municipais.

Atualmente, o ABC está na Fase 2, que permite o funcionamento restrito de shoppings, comércio de rua, concessioná­rias de veículos, imobiliárias e escri­tórios, além das atividades essenciais previstas na Fase 1 (vermelha). Com a reclassi­fi­ca­ção, esses estabelecimentos te­rão o expediente estendido de quatro para seis horas diárias, enquanto o atendimento saltará de 40% para 60% da capacidade.

Bares, lanchonetes e restaurantes poderão receber clientes por seis horas diárias, desde que em acomodações arejadas e segundo rígidos protocolos sanitários estabelecidos no Pla­no São Paulo, como o distanciamento entre consumidores.

Salões de beleza e barbea­rias também poderão reabrir, mas o expediente estará limitado a seis horas diárias e o atendimento, a 40% da capacidade.

ENTENDA

Para de­finir em que fase ca­da região está no Plano São Paulo, o go­verno do Estado leva em consideração indicadores de capacidade hospitalar (ocupação em leitos de UTI e número de leitos de covid-19 por 100 mil habitantes) e de evolução da pandemia (número de casos, internações e de óbitos pela doença).

Pesou para a reclassificação do ABC na Fase 3 a queda na ocupação dos leitos de terapia intensiva (UTIs) para covid-19, que está em 64,2% – o que, segun­­do o Estado, reflete re­du­ção no número de internações.

Segundo balanço divulga­do nesta sexta-feira pelo Consórcio In­ter­municipal, o ABC acumula 19.154 casos confirmados de covid-19 (705 nas 24 horas anteriores), com 1.046 mortes.

No sentido contrário, o go­verno do Estado anunciou que as regiões de Araçatuba, Bauru, Sorocaba, Franca e Piracicaba regrediram da Fase 2 para 1, juntando-se às áreas de Presidente Prudente, Ribeirão Preto, Ma­rília e Registro, que já esta­vam na classificação vermelha.

Para essas regiões, pesou o aumento no número de casos e mortes de covid-19 registrado nas últimas semanas, como resultado do processo de in­terio­rização da pandemia.

Barretos, por sua vez, su­biu da Fase 1 para a 2 e se junta às regiões de Rio Preto, Araraquara, São João da Boa Vista, Campinas e Taubaté, além de três subregiões da Ca­pital, que foram mantidas na classificação la­ranja.

 

Covas anuncia fechamento do hospital de campanha do Pacaembu

O prefeito de São Paulo, Bruno Covas (PSDB), anunciou ontem (26) que sua gestão vai fechar, na próxima segunda-feira, o hospital de campanha do Pacaembu, na zona oeste da Capital. O tucano argumentou que a taxa de ocupação de leitos nas estruturas de campanha para o enfrentamento do novo coronavírus vem caindo desde o começo do mês.

Inicialmente orçado em R$ 28 milhões, o hospital do Pacaembu acabou custando aos cofres da administração da Capital R$ 23 milhões e conseguiu recuperar mais de 90% dos internados.

Segundo Covas, a taxa de ocupação nos últimos dez dias nos hospitais de campanha está abaixo de 50%. “Isso dá tranquilidade para fechar os 200 leitos do hospital do Pacaembu”, disse o prefeito.

Questionado sobre o risco de fechar a estrutura simultaneamente à passagem da Capital da Fase 2 (laranja) para a 3 (amarela) do Plano São Paulo, com a possibilidade de reabertura de bares, restaurantes e salões de beleza, o prefeito apontou que o hospital de campanha do Anhembi tem reserva de 900 leitos que podem ser acionados se for necessário.

PEDIDO

Covas esclareceu também que, a pedido do Centro de Contingência do Coronavírus, vai esperar até a atualização da classificação do plano na próxima sexta-feira (3) e, só se a cidade for confirmada na Fase 3 do plano de flexibilização da quarentena, permitirá que esses comércios voltem a funcionar. A pedido do órgão, o ABC e a região sudoeste da Capital também vão esperar a atualização.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*