Política-ABC, Santo André, Sua região

Fim da falta de água em Santo André passa pela aprovação de projeto, diz superintendente da Sabesp

Fim da falta de água em Santo André passa pela aprovação de projeto, diz superintendente da Sabesp
Tavares: “temos um plano para o município todo desenhado para, em seis meses, solucionar a falta de água em Santo André”. Foto: Divulgação

O superintendente da Unidade de Negócio Sul da Sabesp, Roberval Tavares de Souza, afirmou que a empresa está preparada para acabar com a falta de água em Santo André em seis meses, assim que a Câmara aprovar projeto do Executivo que visa autorizar o município a compartilhar o serviço de saneamento com a companhia.

“O prefeito Paulo Serra (PSDB) entregou na Câmara  projeto de lei que precisa ser aprovado para que a Sabesp possa dar continuidade à tramitação de toda ação. Temos um plano para o município todo desenhado para, em seis meses, solucionar a falta de água em Santo André. É mais de R$ 1 bilhão em investimento na cidade. Vamos entrar com várias adutoras que vão solucionar o problema”, destacou.

Segundo Tavares, o município não investiu em saneamento nos últimos dez anos e, se nada for feito, não haverá água para Santo André. “A Sabesp entrega água. Porém, perde-se mais de 48%. Não existe investimento, não fazem adutora e não fazem porque não têm dinheiro.Temos  planejamento e dinheiro pronto para investir no município”, pontuou.

Tavares descartou redução no volume de água entregue para Santo André. Afirmou que o sistema foi se deteriorando ao longo dos dez anos sem investimentos. “A Sabesp pode entregar a água que for porque vai vazar.” O superintendente afirmou, ainda, que, caso o projeto seja aprovado, existe um plano de transição de quatro anos para os funcionários, elaborado por Paulo Serra com colaboração da Sabesp, os quais passariam a atuar na prefeitura.

Roberval Tavares afirmou que com a assinatura do contrato a dívida de mais de R$ 4 bilhões de Santo André será equacionada e que o valor da conta de água será o mesmo da região metropolitana de São Paulo.“Hoje, em Santo André, existe uma tabela tarifária diferente da região metropolitana. Existem alguns clientes que pagam mais e outros que pagam menos. Será a mesma tarifa que se paga em São Bernardo, Diadema e São Paulo. Um exemplo, a tarifa social em Santo André é mais cara do que a da companhia estadual. Todos os cidadãos de baixa renda que têm tarifa social terão a conta reduzida entrando a Sabesp. Hoje a tarifa social em Santo André é de R$ 15, com a Sabesp vai ser R$ 8 para o consumo de 10m³ de água, que é o mínimo para essa população”, afirmou.

Deixe seu comentario

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*