Arte & Lazer, TV

Parentes, amigos e fãs se despedem no Rio de Janeiro do ator Lúcio Mauro

Parentes, amigos e fãs se despediram nesta segunda-feira (13) do ator e comediante Lúcio Mauro, que faleceu aos 92 anos. O velório, aberto ao público, ocorreu no Theatro Municipal, no centro do Rio de Janeiro. O corpo foi cremado no Cemitério da Penitência, na região portuária da capital fluminense.

Segundo seu filho, o também comediante Lúcio Mauro Filho, a família está serena. “Um artista como ele é eterno. Permanece vivo pela obra, que já está aí toda digitalizada. As novas gerações poderão ver. Também permanece vivo nos filhos e nos netos que amaram tanto ele. Não há uma tragédia aqui. Há um homem de 92 anos indo na hora certa e dei­xando uma mensagem de amor. Deixa na Terra uma família unida e conformada, porque foi uma vida tão plena e tão cheia de vitórias de um homem pioneiro. É claro que tem um luto e uma tristeza, mas o orgulho é muito maior.”

Natural de Belém, Lúcio Mauro começou a atuar em teatros estudantis, passando por emissoras de rádio e televisão até chegar à Rede Globo em 1966, com 39 anos. Foi parceiro de Chico Anysio em clássicos da comédia brasileira como Chico City e Escolinha do Professor Raimundo.

Também participou de programas humorísticos como Os Tra­palhões; Balança mas não cai; Os Normais; Zorra Total; e A Grande Família, além de diversas novelas e filmes.

Segundo Lúcio Mauro Filho, a peça Lucio 80 30, que esteve em cartaz entre 2008 e 2009, coroou a carreira do ator ao colocar pai e filhos no mesmo palco. “Ele era muito espiritualista e sempre falou da morte de forma carinhosa. Brincamos com a morte no nosso espetáculo que fala exatamente sobre a finitude”, pontuou.

PROBLEMAS DE SAÚDE

Lúcio Mauro tinha pro­blemas respiratórios e havia sofrido, há três anos, um acidente vascular cerebral (AVC). Ele morreu na noite de sábado (11), deixando cinco netos e cinco filhos, sendo três com sua esposa Ray Luiza Araujo Barbalho e dois com a atriz Arlete Salles, com quem foi casado entre 1958 e 1970.

O ator estava internado havia quatro meses na Clínica São Vicente, no bairro da Gávea, zona sul do Rio. “Foi uma esticada que ele não merecia. Acho que ninguém merece, quando o corpo já está falindo e você fica numa cama sem mais perspectivas. Porém, cada um tem a sua missão. E ele cumpriu a dele”, disse Lúcio Mauro Filho.

Presente no velório, o ator Leandro Hassum destacou a influência de Lúcio Mauro para as novas gerações de humoristas. “O Lúcio fazia um humor que divertia com pureza e sem malícia. Era também um grande ator capaz de nos emocionar apenas com uma vírgula. Começava na piada e, com uma vírgula, transformava em um drama. Nos fazia chorar de rir, nos fazia rir até chorar. Esse é o legado que nos deixa.”

Em 2015, a Escolinha do Professor Raimundo ganhou regravação da Rede Globo em comemoração dos 25 anos da série original, a princípio com sete episódios. A emissora avaliou de forma positiva a receptividade e deu continuidade ao programa. Amanhã (14), começam as gravações da quinta temporada.

Deixe seu comentario

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*