Diadema, Política-ABC, Sua região

Famílias protestam na Câmara de Diadema contra reintegração de posse e ganham apoio dos vereadores

Famílias protestam na Câmara de Diadema contra reintegração de posse e ganham apoio dos vereadores
Moradores lotaram plenário do Legislativo na última sessão. Foto: Câmara de Diadema

Cerca de 300 moradores do Morro dos Macacos participaram nesta quinta-feira (2) da sessão na Câmara de Diadema, após caminharem pelas ruas centrais do município. Os representantes das mais de 2 mil famílias que moram na área, que fica na divisa entre Diadema e São Paulo, foram ao Legislativo pedir apoio dos vereadores para que consigam audiência com o governador João Dória (PSDB).

As famílias do Morro do Macaco enfrentam processo de reintegração de posse e estão lutando contra a Prefeitura de São Paulo e com o go­verno do Estado. Já há ordem de despejo, e os moradores podem ser desapropriados a qualquer momento, ou num prazo de 18 dias a contar da última quinta-feira.

Segundo Ana de Moura Ponce, uma das represen­tantes das famílias do Morro dos Macacos, faz cinco anos que as famílias estão abandonadas. “Pretendemos sair daqui com encaminhamento para falar com o governo do Estado. Essas famílias não podem ser jogadas na rua”, disse. “Viemos buscar o apoio de vocês (vereadores) e reforçar o pedido de ajuda”, destacou.

Outro representante do movimento, José Roberto da Silva ressaltou que as famílias estão em situação difícil. “São mais de 400 crian­ças que podem ser jogadas na rua”, disse.

RESPOSTAS

O vereador Ronaldo La­cerda (PT) afirmou que o mo­vimento é pacífico e as famílias querem repostas. Segundo o petista, a prefeitura deixou se alastrar a ocupação, mas ninguém estaria morando ali se não tivesse necessidade. “Eles se sentem abandonados pelo poder público”, disse.
Ronaldo pediu que a Câmara emitisse documento a fim de encaminhar ao go­verno do Estado, solicitando que tomem uma “atitude humana”.

Após ser redigido, o texto foi assinado pelos 21 parlamentares.
Os vereadores Orlando Vitoriano (PT) e Cicinho (PRB) também destacaram a importância de os vereadores apoiarem a luta das famílias. “Vamos conversar com nossos deputados estaduais para que nos ajudem nessa causa”, disse Cicinho.

Célio Boi (PSB) pediu a atenção e participação também da Secretaria de Habitação da cidade porque, segundo o parlamentar, a maioria das famílias é de Diadema. “Não vamos deixar de acompanhar e apoiar essa luta”, ressaltou.

O vereador Márcio Júnior (PV) ressaltou a ineficiência do Estado na fiscalização, já que deixou crescer o número de famílias que ocupam o local complementou: “Como vocês não têm mais respaldo jurídico, o caminho agora é político”.

Pretinho disponibiliza ônibus para levar moradores ao Palácio do Governo

Os moradores do Morro dos Macacos, na divisa de Diadema e São Paulo, que estiveram na Câmara diademense nesta quinta-feira (2) em busca de apoio contra reintegração de posse, conquistaram importante vitória: conseguiram o transporte para o deslocamento das famílias até o Palácio do Governo do Estado.

O presidente do Legislativo, vereador Pretinho do Água Santa (DEM), disse que vai ceder os ônibus necessários para que as famílias possam participar de eventual reunião com o governador João Dória (PSDB). Pretinho, além de parlamentar, é também, empresário no ramo de transporte coletivo.

Pelo menos 300 pessoas devem se dirigir ao Palácio do Governo para tentar uma audiência com o governador e se não tivessem conseguido os ônibus, teriam de ir a pé até o local, segundo os re­presentantes do movimento. “Nosso tempo está se esgotando e temos de ir o mais rápido possível”, disse Ana de Moura Ponce, uma das representantes das famílias do Morro dos Macacos.

“Viemos a pé do Morro dos Macacos até aqui (Câmara de Diadema). Viemos a pé hoje porque a necessidade é maior que a dificuldade de chegar”, des­tacou o outro represen­tante do movimento, José Roberto da Silva.

Segundo Pretinho, todos os 21 vereadores assinaram o documento para levar ao governo do Estado e à Prefeitura de São Paulo. “Colocar o transporte à disposição é o mínimo que posso fazer”, enfatizou.

Um comentario

  1. Precisamos muito de moradias moro aqui no morro a dois anos , cheguei a pagar pelo lugar que moro , 8.000,00 Reais , pois não tinha lugar para ir sou apenas mais um junto com essa multidão. Nos ajude por favor.

Deixe seu comentario

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*