Editorias, Educação, Notícias

Educação de SP promove ‘Dia D de Escuta da Rede’ nas 583 escolas da Região Metropolitana de SP para discutir propostas pedagógicas e compartilhar boas práticas

Nesta terça-feira (30) diretores, professores e alunos das 583 escolas estaduais da Região Metropolitana de São Paulo serão convidados a responder questionários online para compartilhar aprendizados, sugestões, boas práticas e expectativas em relação à infraestrutura e proposta pedagógica das escolas estaduais de São Paulo. A ação, chamada de ‘Dia D de Escuta da Rede’, faz parte de um trabalho de escuta já em andamento na Secretaria de Educação do Estado de São Paulo (Seduc), para aproximar os jovens da escola e melhorar os índices de aprendizagem.

“É muito importante termos o feedback da rede. O questionário fala desde a infraestrutura da escola até boas práticas na rede. Esse debate é muito importante e precisamos que todos respondam”, diz o secretário estadual da Educação Rossieli Soares.

Para ouvir as ideias e opiniões de todos, a Secretaria incentiva a promoção de debates e discussões com os alunos, em horário escolar. “Temos coisas maravilhosas acontecendo na rede. Precisamos trazer o que está acontecendo para todos, e por isso precisamos ouvir vocês”, afirma Soares.

A Educação orienta que as escolas se concentrem no questionário e promovam um grande esforço de comunicação. Estratégias online e presenciais, redes sociais, murais da escola, ATPCs e a atuação do Grêmio Estudantil são as estratégias para o fortalecimento do diálogo.

Além de consolidar a democracia e a transparência, o intuito dessa roda de discussões é ouvir as experiências práticas de quem faz a educação no dia a dia, como professores e diretores de escola. O aluno é outro protagonista fundamental no processo. “Estamos discutindo, debatendo, estudando e realizando diálogos, trazendo como ponto central as mudanças que precisamos implementar em prol dos nossos jovens, para os próximos 15 anos”, afirma o secretário.

Ação contínua

O “Dia D” da Educação é só mais um dentre uma série de encontros que fortalecem o diálogo com a rede nessa etapa de mudança do ensino em São Paulo. No dia 2 de abril, o Secretário de Educação Rossieli Soares comandou uma dinâmica com mais de 100 alunos e professores na Escola de Formação de Professores “Paulo Renato Costa Souza” (EFAPE).

A ideia da dinâmica era explicar as propostas para o Ensino Médio e como ele pode dialogar e fazer sentido com o projeto de vida de cada aluno.

Depois da apresentação, alunos e professores se dividiram em vários grupos e ocuparam três salas da EFAPE. Um questionário com 26 questões, a exemplo do “Dia D” foi apresentado e respondido após intenso debate. “Todo mundo estava entrosado e propôs uma melhoria no Ensino. Foi bem legal também ver como a discussão esteve focada para o que cada um iria fazer depois da formação”, cita Júnior Lopes, aluno da rede estadual de São Paulo.

Diálogos pela juventude

A EFAPE também foi palco do segundo encontro da roda de conversa “Diálogos pela Juventude”, na última sexta-feira (26), sobre a experiência prática da professora Débora Garofalo, finalista do Global Teacher Prize em 2019 e eleita uma das dez melhores professoras do mundo. Mais de 200 pessoas, entre estudantes e servidores, participaram do evento, que também foi transmitido via Rede do Saber.

O encontro foi focado nas mudanças que a tecnologia proporcionou na escola e como ela pode ser usada em sala de aula, em especial para fortalecer a aprendizagem nos alunos. “Vivemos num mundo totalmente tecnológico, onde o celular é um norte para nossa vida. Nossos jovens estão dentro desse mundo, e a Educação pode usar a tecnologia como uma propulsora da aprendizagem e tornar os jovens protagonistas de suas histórias”, explica a professora Débora.

Débora comanda um projeto de robótica na EMEF Almirante Ary Parreiras, escola localizada na periferia de São Paulo. Com o uso de robótica e trabalhos culturais, a professora conseguiu aumentar índices de aprendizagem na unidade com um projeto de reciclagem e reuso do lixo da própria comunidade.

O evento contou com outros professores mostrando boas práticas, além de duas rodas de discussão sobre o papel da escola na vida do jovem. “Estamos conversando sobre quais os desafios, como mediamos conflitos e quem são os jovens fora da escola. O que eles querem para a vida e como a escola pode ajudar nisso”, pontua Bruna Waitman, gestora de Educação Integral na COPED.

O primeiro encontro do “Diálogos pela Juventude” aconteceu no dia 11 de abril. A roda de conversa teve as participações de Anna Penido, jornalista e diretora do Instituto Inspirare que falou sobre a escola que faz sentido para os jovens, e Cynthia Sanches, gerente de projetos de educação do Instituto Ayrton Senna, que abordou a importância do desenvolvimento das competências socioemocionais. Mais de 230 pessoas, entre estudantes e gestores das 13 Diretorias de Ensino da Capital, além de servidores da sede da Secretaria, participaram do encontro.

No final de fevereiro, a Seduc reuniu 1,4 mil servidores, entre diretores de escolas estaduais, dirigentes de ensino e representantes dos órgãos centrais. A iniciativa foi a oportunidade para compartilhar novas diretrizes educacionais e colocar em pauta os desafios do cotidiano escolar.

Deixe seu comentario

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*