Últimas Notícias

Fundo Social de Diadema forma 90 alunos em beleza e moda

Ainda criança, Ana Maria Ferreira de Figueiredo costu­rava vestidos para suas bone­cas e descobriu uma paixão que carrega até hoje. “Sempre gostei de costurar, mas só sabia o básico mesmo. No curso aprendi técnicas para melhorar e agora consigo fazer uma peça desde o corte do tecido até os acabamentos”, destacou a aluna do curso de Corte e Costura oferecido pelo Fundo Social de Solidariedade de Diadema.

O vestido longo que Ana Maria usou na tarde desta quarta-feira (17), no Anfiteatro do Paço, foi feito por ela especialmente para a etapa final do curso: a entrega dos certificados. “Quando a gente consegue fazer algo que não sabia e passou a vida inteira tentando é maravilhoso”, disse.

Com objetivo de proporcionar aos alunos conhecimento técnico e práticas do dia a dia profissional, foram oferecidos também os cursos de Assistente de Cabeleireiro, Depilação e De­sign de Sobrancelhas, Maquiagem, Manicure e Pedicure gratuitamentes.

Durante a cerimônia, a primeira-dama e presidente do Fundo Social, Caroline Rocha, destacou ação social que as alunas do curso de Assistente de Cabeleireiro realizaram na Obra Social São Francisco Xavier, que tem por finalidade ajudar crianças. “Essa vivência foi bem in­teressante. Fazer essa troca e trabalhar a solidariedade é um dos objetivos do Fundo Social”, disse Caroline Rocha.

“Foi uma experiência única na minha vida. Nunca tinha vivido nada parecido. Isso despertou em mim uma vontade de continuar ajudando o próximo com o conhecimento que adquiri no curso”, afirmou Gabriela Pereira.

Os cursos também são uma opção para quem está buscando recolocação no mercado de trabalho. Esse é o caso da aluna Walkiria Caetano de Souza, do curso de assistente de cabeleireiro, que precisava de algo que lhe desse flexibilidade o suficiente para traba­lhar em casa e cuidar da filha deficiente. “A luta foi grande, mas estar aqui hoje, recebendo o certificado, é a prova que venci. Recebi muito apoio da professora Nelza e dos meus colegas de turma. Desde o início me senti muito acolhida”, pontuou Walkiria.

Serviço – Fundo Social de Solidariedade, Rua Almirante Barroso, 160 – Vila Santa Dirce.

Deixe seu comentario

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*