Curiosidades

O que é um profissional autônomo?

O profissional autônomo é um prestador de serviços e, portanto, não possui vínculo empregatício de nenhuma natureza com as empresas que exerce alguma atividade. Os trabalhadores que se encaixam nessa categoria possuem autonomia econômica e profissional. Ou seja, desempenham suas funções sem precisar, necessariamente, seguir regras específicas e modelos das organizações. Porém, da mesma forma que tem a liberdade de realizar o trabalho, é importante que tenha ciência da responsabilidade de assumir todos os riscos.

De acordo com o IBGE, até 2018, existiam cerca de 23 milhões de profissionais autônomos no Brasil, um número 2,8% maior que no ano anterior. As possíveis razões para esse aumento são: a formalização e desburocratização desse tipo de trabalhador, que aconteceu com a criação do MEI (Microempreendedor Individual) em 2008; e a procura por uma maior qualidade de vida em detrimento da estabilidade do emprego formal. Se somarmos isso a outros fatores, como por exemplo, uma demanda maior por prestadores de serviços, o resultado será um aumento ainda maior para este ano.

Mas, onde posso atuar como autônomo?

Há inúmeras atividades que podem ser exercidas nesta categoria, principalmente, funções que tem como ferramenta principal a internet: redação, design e programação, entre outros. E os setores que mais contratam profissionais autônomos são: serviços de beleza; setor de alimentos; lojas virtuais; blogs e produtos digitais.

Uma vantagem é a possibilidade de atuação em diferentes empresas, captando e atendendo seus clientes, de forma independente, conhecendo vários processos de trabalho.

Administração financeira

A regra básica para ter uma boa administração financeira é não misturar as contas da empresa com a pessoa física. O ideal é ter duas contas correntes, preferencialmente, em instituições financeiras diferentes. Assim é possível fazer uma segregação adequada da conta profissional e pessoal, até porque os rendimentos são distintos.

É extremamente necessário, ter um pró-labore, ou seja, uma retirada mensal da empresa. Este fato precisa ser muito bem definido e discutido com o seu contador. Na maioria das vezes o profissional autônomo realiza saques da conta corrente sem nenhum critério, o que acaba inviabilizando controle das contas correntes. Este procedimento pode negativar a conta da empresa, o que irá dificultar o balanço quando for prestar contas ao leão, ou seja, ajustes da declaração de imposto de Renda Pessoa Física.

É importante estar atento e avaliar todos os pós e contras antes de se tornar o próprio chefe. Para finalizar e ajudar nesta decisão, seguem abaixo vantagens e desvantagens:

Vantagens

1. Autonomia para realizar as tarefas

O profissional autônomo não necessita prestar contas a um superior ou seguir uma hierarquia, que é exigida em regimes de CLT. Isso significa que esse colaborador poderá seguir sua própria metodologia de trabalho, tendo comprometimento real apenas com os resultados a serem alcançados por seus serviços.

Entretanto, é preciso lembrar que o trabalhador não pode ser indisciplinado, pois seu compromisso principal é fazer com que sua tarefa seja primorosamente executada para conseguir uma experiência única para seus contratantes.

2. Mobilidade para realizar seu trabalho de onde quiser

Trabalhar como autônomo permite o equilíbrio da vida pessoal e profissional, fazendo com que as duas coexistam de uma maneira orgânica e saudável.

Outra vantagem dessa flexibilidade é em relação ao trânsito. Se o profissional trabalhar em casa, por exemplo, raramente precisará se preocupar com o deslocamento e terá mais tempo para focar na execução do trabalho.

Além disso, terá mais conforto e a possibilidade de organizar sua agenda conforme a demanda de tarefas profissionais e compromissos pessoais, o que pode garantir mais motivação e produtividade.

3. Flexibilidade de horários

A flexibilidade do profissional autônomo é uma das maiores vantagens desta categoria. Trabalhar por conta própria dificulta a procrastinação típica dos serviços em escritórios com jornada estipulada.

Esse modelo autônomo permite que seja montada uma rotina que combine os afazeres diários e outras atividades, como as obrigações com seus clientes. Além de estabelecer uma importante parceria entre contratante e contratado pautada na confiança, ambos estão focados para o resultado.

4. Carga tributária menor

Para trabalhadores em regime CLT, os impostos tributados mensalmente podem chegar a até 27,5% de seu salário.

Já nos trabalhos autônomos, o regime de MEI, onde o limite atual de faturamento está R$ 81.000,00 por ano, é paga uma guia (DAS) mensal entre R$ 47,85 e R$ 52,85.

Desvantagens

1. Instabilidade financeira

É normal que, trabalhando por conta própria, em um mês, o profissional tenha inúmeros clientes e jobs e, no mês seguinte, esta demanda caia e, junto com ela, sua renda também diminua.

Uma boa dica para garantir uma maior estabilidade financeira é contratar um sistema de previdência privada ou um programa de capitalização, como empréstimos em sua conta pessoal com seu gerente. Também é fundamental fazer um planejamento financeiro a curto, médio e longo prazos, para que possa atingir suas metas e tenha uma situação econômica estável.

2. Ausência de benefícios trabalhistas

Como profissional autônomo, não há direitos que possam assegurar sua renda em caso de doença garantida por lei. Por isso, se está pensando em migrar para o regime de prestação de serviço e quer manter seus direitos como CLT, deve, primeiramente, procurar o INSS e se cadastrar como contribuinte individual. Esse recolhimento é baseado na receita gerada por seus trabalhos e garantem direitos como aposentadoria, auxílio-doença e salário maternidade.

3. Solidão

Um dos maiores problemas em ser um profissional autônomo é, geralmente, não ter colegas para compartilhar ideias, especialmente se já está acostumado a trabalhar com uma equipe ou se sua função precisa de outras visões para ser bem executada.

Outro obstáculo gerado por essa solidão é a dificuldade que o profissional autônomo possa ter para realizar seunetwork. Uma alternativa plausível e que tem sido adotada por estes liberais é o coworking. Esses escritórios compartilhados permitem que haja interação e realize contatos com pessoas que possam agregar ideias novas como potencializar futuros clientes.

4. Sobrecarga de atividades

Muitas vezes, ser profissional autônomo significa ter inúmeras tarefas que podem não ser o foco de sua carreira. São atividades que necessita, de planejamento, agenda com prioridades diárias, bem como manter o relacionamento com os clientes e fazer a divulgação de seus serviços.

Uma dica preciosa aqui é evitar a procrastinação criando um método de trabalho focado na produtividade.

Deixe seu comentario

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*