Esportes, Futebol, Paulistão

Santo André faz ‘jogo perfeito’, vence o Água Santa e fica perto do acesso

Santo André faz ‘jogo perfeito’, vence o Água Santa e fica perto do acesso
Rhuan comemora o primeiro gol do Santo André no Brunão. Foto: Alê Vianna/Eleven/Estadão Conteúdo

O Santo André precisaria fazer um “jogo perfeito” no Bruno José Daniel para superar o Água Santa, até então a sensação da Série A2 do Campeonato Paulista, e conseguiu. Naquela que foi sua melhor exibição na competição, o Ramalhão aproveitou o mando de campo e, diante de 6.356 torcedores, fez 2 a 0 no Netuno, neste sábado (13), na abertura do confronto semifinal que vale o acesso à elite estadual no próximo ano. Rhuan e Cristian, um em cada tempo, fizeram os gols do time da casa.

Com isso, o Santo André poderá perder o jogo de volta – marcado para o dia 21, domingo de Páscoa, no Inamar, em Diadema – por um gol de diferença para comemorar o acesso e a vaga na final da Série A2. O Netuno, por sua vez, terá de vencer a partida por três gols de diferença ou por dois para levar a decisão aos pênaltis.

O Água Santa repetiu, nos primeiros minutos do jogo contra o Santo André, a mesma estratégia adotada contra o Taubaté, no Vale do Paraíba: esperar o adversário em seu campo à espera de um erro para contra-atacar, aproveitando a velocidade de seus atacantes. Essa estratégia funcionou bem nas quartas de final, principalmente, porque o Netuno abriu o placar no começo do jogo, mas o roteiro não se repetiu no Brunão.

Faltou combinar com Cristian. Pelo lado direito, o meia do Santo André cobrou escanteio na cabeça de Rhuan, que nem precisou subir para finalizar no fundo das redes de Rafael, aos dez minutos.

O gol forçou a equipe do técnico Márcio Ribeiro a sair mais para o jogo, mas seus homens de frente pareciam pouco inspirados, enquanto o Ramalhão dava poucos espaços. Quando Celsinho – jogador mais perigoso do Água Santa – teve liberdade, o Netuno quase chegou. Aos 21 minutos, o meia cruzou para a área e encontrou Alvinho, que cabeceou para o gol, mas Tomazella fez ótima defesa.

Mesmo sem ter mais posse da bola, os mandantes eram mais incisivos. Aos 32 minutos, Ícaro desviou de cabeça e obrigou Rafael a fazer bela defesa, mas o auxiliar parou a jogada e marcou impedimento de Heliton. Aos 35, após tabela pela esquerda, Anselmo chutou cruzado e Cristian completou para o gol, mas a bola saiu por cima.

Aos 36, Ribeiro foi obrigado a fazer sua primeira mudança, com Maninho entrando no lugar do lesionado Bruno Recife. Longe de apresentar o futebol das semifinais, o Água Santa voltou a assustar aos 44 com Lombardi, que desviou de cabeça o escanteio cobrado por Celsinho. Tomazella só olhou a bola sair pela linha de fundo.

O segundo tempo começou como um espelho do primeiro: o Água Santa tinha a posse da bola, mas pouco criava diante de um Santo André bem postado defensivamente. Porém, também faltava ao Ramalhão boa chegada ao ataque, principalmente depois da saída de Maykinho, lesionado – Matheus Santiago o substituiu.

Rodrigo Sam entrou no lugar de Everton e, com isso, o Água Santa passou a atuar com três zagueiros, em uma tentativa de Márcio Ribeiro de liberar seus laterais. Porém, não era mesmo o dia do Netuno e, logo depois, o Ramalhão chegou ao segundo gol. Aos 27 minutos, Guilherme Garré – que entrara no lugar de Jobinho – cruzou da direita e achou Cristian dentro da pequena área. De joelhos, o meia mandou para as redes: 2 a 0.

Ribeiro, então, viu-se diante de um impasse: buscar o primeiro gol para diminuir a desvantagem e se expor, ou segurar o resultado reversível sem correr risco de levar o terceiro? O técnico do Água Santa escolheu a primeira opção, mas nada parecia funcionar na equipe de Diadema. Assim, restou ao Santo André esperar o tempo passar para comemorar a vitória em casa e a boa vantagem para o segundo jogo.

 

SANTO ANDRÉ 2 x 0 ÁGUA SANTA

Gol: Rhuan, aos dez minutos do 1º tempo. Cristian, aos 27 minutos da 2ª etapa. Árbitro: Vinicius Furlan. Público: 6.356 torcedores. Estádio: Bruno José Daniel, em Santo André, na tarde deste sábado.

SANTO ANDRÉ

Tomazella, Rhuan, Ícaro, Heliton e Denis Neves; Johnnathan, Raphael Toledo e Cristian (Victor Sapo); Jobinho (Guilherme Garré), Anselmo e Maykinho (Matheus Santiago). Técnico: Fernando Marchiori.

ÁGUA SANTA

Rafael; Bocão (Genilson), Lombardi, Luizão e Bruno Recife (Maninho); Serginho, Everton (Rodrigo Sam) e Diogo Marzagão; Luan Dias, Alvinho e Celsinho. Técnico: Márcio Ribeiro.

 

Deixe seu comentario

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*