Economia, Notícias

Petrobras perde R$ 32 bilhões na Bolsa após Bolsonaro intervir em reajuste do diesel

Petrobras perde R$ 32 bilhões na Bolsa após Bolsonaro intervir em reajuste do diesel
Bolsonaro: “Não serei intervencionista, mas quero os números”. Foto:Alan Santos/PR

Uma decisão do presidente Jair Bolsonaro (PSL) colocou on­tem (12) a Petrobras no meio de um vendaval. As ações ordinárias da empresa fecharam em queda de 8,5% depois de Bolsonaro determinar, na noite de quinta-feira, que a empresa voltasse atrás no reajuste de 5,7% no preço do diesel anunciado mais cedo.

A decisão deixou o mercado financeiro em polvorosa, já que a promessa do governo era de que a estatal não sofreria mais intervenção política, apontada pelos analistas como a causa principal dos problemas enfrentados pela empresa nos governos petistas.

Ontem, a petroleira perdeu R$ 32 bilhões em valor de mercado. “Liguei para o presidente (da Petrobras) sim, pois me surpreendi com o reajuste de 5,7%. Não vou ser intervencionista. Não vou praticar a política que adotaram no passado, mas quero os números da Petrobras”, disse.

A decisão, aparentemente, não foi combinada com a equipe econômica. Em Washington, ao ser perguntado sobre o assunto, o ministro da Economia, Paulo Guedes, disse ter passado o dia inteiro em reunião e que não tinha “informação suficiente”. Diante da insistência de jorna­listas, o mi­nistro respondeu: “É uma inferência razoável, aparentemente.”

A intervenção do presidente no reajuste foi fruto direto da pressão dos caminhoneiros. Foi exatamente a política de preços da Petrobras que levou à greve no ano passado. Agora, o gover­no quer evitar que isso se repita.

O problema, para o mercado, é que a interferência contra­ria a cartilha liberal pregada por Guedes. Segundo apurou a reportagem, a intervenção foi vista na equipe econômica como “catastrófica”.

Em nota, o presidente da Pe­trobras, Roberto Castello Bran­co, disse que estatal é “autô­noma para a tomada de deci­sões”, mas considerou “legítima” a preo­cupação de Bolsonaro. Ao não elevar o preço do diesel, porém, a empresa perde R$ 13 milhões por dia, segundo cálculos do Centro Brasileiro de Infraestrutura (CBIEE).

Mais tarde, a Petrobras, por meio de sua assessoria de imprensa, revisou a declaração do presidente da companhia.

A secretaria de Comunicação da Presidência informou que o governo realizará, na próxima segunda-feira (15), reunião interministerial na Casa Civil para tratar dos aspectos técnicos sobre a política de preços para os combustíveis.

 

Deixe seu comentario

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*