Brasil, Editorias, Notícias

Polícia identifica jovens de 25 e 17 anos como atiradores de escola em Suzano

Atiradores invadem escola em Suzano, matam seis pessoas e se suicidam
Vítima de tiroteio em escola de Suzano é socorrida. Foto: Werther Santana/Estadão Conteúdo

Atualizado às 15h10

Ao menos dez pessoas morreram e outras ficaram feridas durante tiroteio dentro da Escola Estadual Raul Brasil, em Suzano, na Grande São Paulo, na manhã desta quarta-feira (13).

A Polícia de São Paulo informou a identidade dos dois atiradores. Um deles é Luiz Henrique de Castro, que iria completar 26 anos no sábado. O outro tinha 17 anos e foi identificado pelas iniciais G.T.M.

Segundo informações da Polícia Militar, os dois adolescentes armados e encapuzados invadiram a escola e efetuaram os disparos e teriam cometido suicídio no local.

Segundo o governo do Estado, 17 pessoas foram socorridas e encaminhadas a hospitais da região.

Ainda de acordo com o governo do Estado, a escola foi esvaziada porque há no local um artefato suspeito ainda desconhecido. A unidade abriga 1.600 alunos do sexto ao nono ano do ensino fundamental e do ensino médio.

A Prefeitura de Suzano informou que o Pronto Socorro Municipal já recebeu crianças com ferimentos leves e os feridos com maior gravidade estão sendo encaminhados aos hospitais Luzia de Pinho Melo, em Mogi das Cruzes, e Santa Marcelina, em Itaquaquecetuba.

O atentado causou caos e pânico. Estudantes saíram correndo e se abrigaram em lojas próximas. Assim que foi informado do ocorrido, o governador João Doria (PSDB) cancelou sua agenda e se dirigiu ao local para acompanhar o trabalho de resgate e atendimento aos feridos.

O coronel Salles, da Polícia Militar, disse que os atiradores entraram na escola na hora do intervalo. Primeiro, atiraram em uma coordenadora pedagógica e em uma supervisora. Depois, se dirigiram ao pátio, onde atingiram alunos de ensino médio. Depois seguiram para um centro de línguas.

Na mochila dos atiradores havia três coquetéis molotov, duas bestas (lança-seta) e um revólver calibre 38. Uma terceira mochila foi encontrada com uma espécie de bomba, de acordo com informações do Major Caruso, subcomandante do 32º Batalhão da PM, com sede em Suzano.

Peritos já estavam dentro da escola, fazendo uma varredura. “A preocupação neste momento é desmantelar os artefatos explosivos, prestar socorro às vítimas e atender às famílias”, disse o coronel Salles. A área no entorno da escola está isolada por risco de haver explosivos.  Imagens de emissoras de TV mostram projéteis no chão do pátio do colégio.

Deixe seu comentario

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*