Economia, Notícias

Produção de veículos novos cresce 5,3% e tem melhor 1º bimestre desde 2014

Produção de veículos novos cresce 5,3% e tem melhor 1º bimestre desde 2014A produção brasileira de veí­­culos registrou, no primeiro bi­mestre, o me­lhor resultado para o período em cinco anos. Deixaram as li­nhas de montagem 455,3 mil carros, comerciais leves, ca­­mi­nhões e ônibus, avanço de 5,3% ante o apurado nos dois meses iniciais de 2018.

Os dados foram divulgados, ontem (11), pela Associa­ção Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea), que representa as monta­doras. Trata-se do melhor resultado para o período desde as 519 mil unidades fabricadas no primeiro bimestre de 2014.

Esse desempenho foi puxa­do pela continuidade do mo­­vi­mento de retomada do mer­ca­­­­­do interno, enquanto as ex­­por­­­­­­­ta­­ções mantêm trajetória de que­da na­ es­teira da crise argentina.

O licenciamento de veículos novos cresceu 17,8% no primeiro bimestre ante igual período do ano passado, para 398,4 mil unidades, enquanto os embar­ques pa­ra o exterior despenca­ram 41,9% na mesma compa­ração, para 65,5 mil veículos.

“Infelizmente, as exporta­ções não nos darão as me­lho­res notícias de 2019, mas o mer­cado interno está fazendo seu papel”, disse o presidente da Anfavea, Antonio Megale.

Principal parceiro comer­cial do setor automotivo bra­sileiro, a Argentina enfrenta grave cri­se desde o ano passado e vem perdendo participação nos em­barques brasileiros para ou­tros mercados, como Chile e Co­lômbia. Porém, esses países não conseguem compensar integralmente as perdas nas vendas para os “her­manos”. “Vamos ter muita di­ficuldade (para exportar) no primeiro semestre. Talvez no último trimestre a gente possa ter um resultado melhor”, projetou Megale.

O dirigente lembrou que as vendas internas foram favo­recidas pelo ca­lendário, uma vez que fevereiro teve mais dias úteis (20) do que o mesmo mês do ano passado (18), já que o Carnaval ocorreu em março.

No mês passado foram emplacadas 198,6 mil unidades, queda de 0,6% ante o apurado em janeiro, mas alta de 26,6% contra o mesmo mês de 2018. “Um detalhe é que, em feverei­ro, o mercado emplacou 9.932 unidades por dia, 10% a mais do que em janeiro”, disse Megale.

 

‘Programa do Doria não resolve problema dos créditos do ICMS’, afirma Megale

O presidente da Anfavea, Antonio Megale, disse ontem (11) que o programa de incentivos criado para o setor automotivo pelo governador João Doria (PSDB) é positivo, mas não resolve a maior preocupação do segmento: a acumulação de créditos de Imposto sobre a Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS).

“Toda redução de carga tri­butária é bem-vinda, mas o pro­grama não tem impacto de cur­to prazo, pois é voltado para novas fábricas, novos produtos, exige tempo de maturação e não resolve nossa maior preocupação, que são os créditos acumulados no ICMS”, disse.

O programa oferece desconto de até 25% no ICMS para montadoras que investirem ao menos R$ 1 bilhão e gerarem pelo menos 400 empregos. Para chegar aos 25%, seria preciso investir R$ 10 bilhões.

 

Deixe seu comentario

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*