Saúde e Beleza

Fim do horário de verão e as alterações hormonais

“Refeições leves, evitando gorduras, frituras e excesso de proteína animal contribuem para o organismo se adaptar com o fim do  horário de verão. Porém, o mais importante é dormir corretamente. Apesar de atrasar o relógio, o ideal é não perder o número de horas habituais de sono. Essa é a parte fundamental para a boa adaptação das mudanças de horários, seja o de verão ou de fusos horários distintos”, alerta Marcio Krakauer, endocrinologista diretor da Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia Regional São Paulo (SBEM-SP).

O horário de verão chega ao fim no próximo da 16. Alguns impactos hormonais decorrem do ajuste no relógio. O mais relevante é o no cortisol, hormônio produzido pela glândula suprarrenal enquanto dormimos. Por isso, nos primeiros dias de ajuste aos novos horários, pode haver mais cansaço, ansiedade, dificuldade para acordar, uma certa irritabilidade, mas nada que não seja naturalmente ajustado pelo organismo.

“A regulação do sono é o que pode provocar as alterações glicêmicas dos pacientes diabéticos, principalmente os que têm diabetes tipo1, que precisam de insulina”, destaca Krakauer.

Para quem faz uso contínuo de medicamentos,  a dica do especialista é seguir o relógio para manter os horários de rotina para os remédios.

Deixe seu comentario

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*