Economia, Notícias

Exportações caem 46% e derrubam a produção de veículos em janeiro

Exportações caem 46% e derrubam a produção de veículos em janeiro
Megale afirmou que, “dificilmente, as grandes empresas vão deixar o país”. Foto: Arquivo

A produção de veículos no Brasil caiu 10% em janeiro na comparação com igual mês de 2018, para 196,8 mil unidades, segundo dados di­vulgados, ontem (6), pela As­so­ciação Nacional dos Fa­bri­cantes de Veículos Automotores (Anfavea), que re­presenta as montadoras. O dado inclui a fabricação de automóveis, comerciais le­ves, caminhões e ônibus.

A queda na produção é resultado do fraco desempenho das exportações, que despencaram 46% em janeiro ante o mesmo mês do ano passado, para 25 mil unidades. Trata-se do pior resultado mensal em três anos. Ante dezembro, o recuo foi de 21%.

A Argentina, tradicionalmente responsável por 70% das exportações de veículos, teve sua participação reduzida para 56%. Uma melhora no mercado do país vizinho, que passa por recessão, é esperada para o segundo semestre, disse o presidente da Anfavea, Antonio Megale.

Entre os veículos leves, as fábricas produziram 188 mil unidades em janeiro, baixa de 10,5% na comparação com igual mês do ano passado. Em relação a dezembro, porém, houve alta de 11,3%.

No ramo de cami­nhões, a produção somou 6,8 mil unidades, expansão de 1,6% sobre o volume de janeiro de 2018, mas baixa de 7,7% ante o resultado de dezembro.

O mercado interno, por sua vez, cresceu 10,2% ante janeiro de 2018, com vendas de 199,8 mil veículos.

O licenciamento de auto­móveis e comerciais leves somou 191,2 mil unidades em janeiro, alta de 8,7% ante o mesmo mês do ano passado. Na mesma comparação, as vendas de cami­nhões cresceram 53,2%, para quase 7 mil veículos, e as de ônibus avançaram 88,4%, para 1,6 mil.

“Iniciamos o ano com alta importante e em todos os segmentos, o que é bastante animador. Inclusive, este janeiro foi o melhor desde 2015”, afirmou Megale.

GENERAL MOTORS

A General Motors – que, no mês passado, ameaçou suspender operações no Brasil caso não voltasse a ter lucro em 2019 – foi a única das principais montadoras instaladas no país a ter queda na produção em 2018, segundo a Anfavea.

Em 2018, as três fábricas da GM produziram 466,4 mil unidades, retração de 1,6% em relação a 2017. O setor como um todo teve alta de 6,7% na produção. As principais concorrentes da empresa (VW, Fiat Chrysler, Ford, Toyota, Hyundai, Honda, Renault e Nissan) tiveram crescimento.

O recuo na produção da GM ocorre apesar de suas vendas terem crescido 10,2% e de a marca ser líder do mercado interno. A explicação está nas exportações, que caíram 23,6% devido à crise na Argentina.

Megale afirmou que, “dificilmente, as grandes empresas vão deixar o país”. “Poucos mercados do mundo crescem como o nosso, com taxas de dois dígitos. O mercado brasileiro tem muito potencial e pode chegar a 4 milhões de unidades antes da metade da próxima década”, afirmou.

Para este ano, a previsão é de vendas no mercado interno de 2,86 milhões de veículos, 11,4% a mais do que em 2018.

 

Deixe seu comentario

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*