Esportes, Outros Esportes

Medalhista olímpico, Diego Hypólito diz estar há sete meses sem receber salário

Medalhista olímpico, Diego Hypólito diz estar há sete meses sem receber salário
Hypólito: “Em certo momento cogitei abrir mão de quatro meses, Nem assim cumpriram o que foi acordado”. Foto: Daniel Ramalho/AGIF/COB

O ginasta Diego Hypólito reclamou, por meio de sua conta no Instagram, de atrasos de salário envolvendo a Prefeitura de São Bernardo. O atleta competia pela cidade e afirmou não ter recebido sete rendimentos do seu contrato de 24 meses.

“Foram sete meses sem receber e ainda me submetendo a ficar calado, pois qualquer coisa dita podia espantar novos patrocinadores”, afirmou. “Em certo momento cogitei abrir mão de quatro meses, desde que os pagamentos se tornassem pontuais. Nem assim cumpriram o que foi acordado”, continuou.

Diego disse que a prefeitura chegou a pedir que ele reduzisse os valores dos salários para que conseguissem pagar.

“Eles estavam atrasados há muito tempo. Conversaram uma época comigo e perguntaram se eu podia reduzir o valor, pois não teriam como pagar os últimos quatro meses do ano. Eu, com maior das boas intenções, falei que abdicava de quatro meses de salário se eles começassem a me pagar em dia nos próximos meses e no final eles quitariam os atrasados para honrar o contrato comigo. O que eles nunca fizeram”, afirmou.

Segundo Hypólito, membros da Secretaria de Esporte de São Bernardo pediam para que o atleta não se manifestasse sobre os atrasos para não atrapalhar o acordo de patrocínio com a Caixa Econômica Federal.

Em nota enviada à reportagem, a Prefeitura de São Bernardo nega que tenha coibido manifestações do atleta e afirma que o problema ocorreu porque a renovação de contrato com a Caixa não foi formalizada.

“O contrato foi encerrado em agosto e houve prorrogação até novembro, com as tratativas para a celebração de nova parceria. No entanto, o novo contrato não foi formalizado pelo presidente da Caixa na época, Nelson Antonio de Souza. Em maio de 2018, o prefeito de São Bernardo, Orlando Morando, em agenda oficial em Brasília, recebeu sinalização para a renovação do contrato da Caixa com o município, incluindo verba também o Atletismo e outras modalidades, em audiência com o então presidente da República, Michel Temer, o qual não foi efetivado. Os valores eram na ordem de R$ 3,3 milhões”, diz trecho do comunicado.

“A Secretaria de Esportes e Lazer refuta a afirmação sobre coibir qualquer atleta em sua manifestação. Ressalta que os atletas sempre foram informados de todas as questões relacionadas ao contrato com a Caixa”, prossegue a nota.

O imbróglio envolvendo a Caixa e a Prefeitura de São Bernardo vem desde maio do ano passado. O banco decidiu encerrar o patrocínio na época depois de investir R$ 3 mi­lhões no esporte da cidade. O acordo entre as partes terminava em agosto de 2018.

Um dos motivos para o término do acordo seria as acusações de abuso sexual envolvendo o ex-técnico do clube Fernando de Carvalho Lopes.

“A gente não sabe o que fazer em uma situação como essa. Eles (prefeitura) falaram que a Caixa não renovou e que não teria mais salário. Estavam falando que, por causa dos absurdos (denúncia de abusos), a Caixa não quis mais renovar pelas questões do processo. Olha que absurdo.”

“A sensação que dá é de que a gente é sempre punido por falar a verdade, por tudo. Não tem muito o que fazer, a gente fica refém de uma sociedade hipócrita e corrupta”, disse Hypólito. “Não acredito que isso seja verdade. Sempre que eu conversei com o pessoal da Caixa, o dinheiro tinha sido passado para a prefeitura. O pessoal da Caixa é muito parceiro com a gente. Não sei o que acontece”, completou.

 

Deixe seu comentario

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*