Editorias, Notícias

Biometria facial põe fim a irregularidades nos ônibus de São Bernardo

Biometria facial põe fim a irregularidades nos ônibus de São Bernardo
Fiscalização resultou na redução da compensação financeira de R$ 100 mil por mês, ou seja, a administração deve economizar R$ 1,2 milhão em um ano. Foto: Gabriel Inamine/PMSBC

Em vigor desde julho deste ano no transporte coletivo de São Bernardo, o sistema de biometria facial tem ajudado a economizar recursos públicos. Implementado de forma pioneira na região metropolitana, a ferramenta tem o objetivo de fazer a verificação dos passageiros que utilizam gratuidades. Essa fiscalização resultou na redução da compensação financeira de R$ 100 mil por mês, ou seja, a administração deve economizar R$ 1,2 milhão em um ano.

Atualmente, cerca de 135 mil usuários do transporte coletivo da cidade possuem o cartão, que concede o direito de viagem de graça. Entre estes usuários estão aposentados, pensionistas, deficientes físicos e acompanhantes, idosos e estudantes. Pela gratuidade oferecida, a Prefeitura de São Bernardo despende em torno de R$ 2 milhões por mês. Ao todo, são realizadas mensalmente na cidade 1 milhão de viagens com o benefício gratuito.

De julho até o final de novembro foram bloqueados 6.853 cartões, sendo que a categoria especial com acompanhante conta com a maior fatia de bloqueios (43% do total), seguido do cartão escolar (27%), cartão sênior (15%) e social (15%). Nesse período, foram impetrados 1.642 recursos administrativos, dos quais 55% foram indeferidos.

“Com a instalação da biometria facial conseguimos comparar se o usuário que tem utilizado a gratuidade é o mesmo que foi identificado. A prefeitura quer pagar o justo. Quem tem o direito de utilizar o ônibus de graça é defendido. Agora, não podemos compactuar com as pessoas que usufruem do benefício de maneira indevida. Isso foi feito para respeitar o cidadão de São Bernardo, que paga pela gratuidade”, afirmou o prefeito Orlando Morando (PSDB).

O sistema de ônibus de São Bernardo é operado pela SBCTrans. Até o momento, 390 ônibus, dos 425 da frota, já contam com o equipamento. Todos os ônibus trazem informativos destacando que burlar o sistema é fraude.

COMO FUNCIONA

A biometria facial compara o rosto do usuário com a foto presente no cadastro. Em caso de não reconhecimento, o cartão é bloqueado. O passageiro é notificado e tem dez dias para se defender. O uso da ferramenta de fiscalização foi instituído por decreto no início de julho, sem que o investimento impacte nos valores da tarifa vigente.

 

Deixe seu comentario

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*