Mauá, Política-ABC, Sua região

Como ‘presente’ pelo 64º aniversário de Mauá, Atila vai reduzir taxa do lixo

Como ‘presente’ pelo 64º aniversário de Mauá, Atila vai reduzir taxa do lixo
Segundo Atila, redução foi possível porque a prefeitura renegociou vários contratos. Foto: Arquivo

O prefeito de Mauá, Atila Jacomussi (PSB), vai anunciar na próxima quarta-feira (12) a redução da taxa do lixo, que é cobrada desde abril. O socialis­ta quer oferecer o desconto como um “presente” para os munícipes pelo 64º ani­versário da cidade, comemorado hoje (8).
Em en­trevista concedida ao Diário Regional na última quarta-feira, o socialista afirmou que o porcentual de redução ainda está em estudo. “Falta apenas esta­belecer o porcentual, que está sendo definido pela Secretaria de Finanças”, afirmou Atila.

A taxa é motivo de indig­nação em Mauá desde o envio do projeto à Câmara, em dezembro do ano passado. Naquela oportunidade, o Paço se viu pressionado depois que a Lara Central de Resíduos Sólidos, responsável pela coleta de lixo na cidade, ameaçou paralisar os serviços devido à falta de pagamento do contrato vigente e de dívidas negociadas pelo antecessor de Atila, Donisete Braga (Pros).

“É preciso lembrar que a criação da taxa decorre do parcelamento de R$ 45 mi­lhões junto à Lara que herdamos da gestão anterior, de forma que a cidade pagava duas contas (de lixo), o que resultou em grande déficit para o município”, justificou o prefeito.

A redução só será possível porque, depois de seu retorno à prefeitura, em setembro, o socialista renegociou vários contratos com fornecedores, entre os quais o da Lara.
“Fizemos duro ajuste nas contas e agora, com a corda um pouco mais frouxa no pes­coço, decidimos presentear a população”, explicou Atila.

FAIXAS

A taxa foi aprovada na Câmara em de­zembro de 2017, mas só passou a ser cobrada em abril deste ano, o que resultou em parcelas maiores, uma vez que o projeto original previa a divisão do valor em 12 meses.

A definição do montante a ser pago levava em consideração o consumo de água e a destinação de imóvel (residencial, comercial e industrial).

Com a prisão de Atila em abril, no âmbito da operação Prato Feito da Polícia Federal, os vereadores – pressionados por movimentos de morado­res – solicitaram à prefeita interina, Alaíde Damo (MDB), a revogação da taxa do lixo.

A emedebista negou o pedido dos vereadores, mas encaminhou pro­jeto à Câmara com nova formatação da cobrança da taxa. Aprovadas em junho pelo Le­gislativo, as mudanças contemplavam a criação de mais faixas de produção de resíduos e o aumento do subsídio concedido pelo Paço, o que reduziu o valor do imposto cobrado do contribuinte.

Um comentario

  1. Tem que cancelar isso ja tá no iptu cobrar a taxa 2 vezes isso e um sacanagem

Deixe seu comentario

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*