Política-ABC, São Bernardo do Campo, Sua região

Câmara de S.Bernardo aprova projeto para recuperar o Instituto Municipal de Assistência à Saúde do Funcionalismo

Câmara de S.Bernardo aprova projeto  para recuperar o Imasf
Morando: “muitos gestores desvalorizaram o Imasf”. Foto: Gabriel Inamine/PMSBC

A Câmara de São Bernardo aprovou nesta quarta-feira (5) projeto do Executivo que prevê mudanças no Instituto Municipal de Assistência à Saúde do Funcionalismo (Imasf) visando ao equilíbrio financeiro da autarquia. Entre as medidas a serem tomadas a partir de 2019 está o realinhamento nas contribuições do grupo integrado por ex-servidores, reagrupados sob a denominação de “agregados”, com o intuito de reequilibrar o descompasso financeiro entre ingressos e despesas registrado nessa categoria de beneficiários.

Outra medida é a adoção de coparticipação financeira dos beneficiários nos custos de todos os procedimentos médicos e hospitalares. De acordo com o Superintendente do Imasf, Luiz Carlos Gonçalves da Silva, a proposta tem caráter educativo, a fim de inibir excessos, por meio de “fator moderador”. “Este é um modelo que a maioria dos planos particulares utiliza. Será uma parcela pequena sobre cada procedimento, mas que tem papel de responsabilizar o usuário que banaliza os atendimentos”, pontuou.

A propositura aprovada pela Câmara tem entre os principais ganhos o aumento no investimento por parte da prefeitura, a volta dos principais equipamentos públicos de Saúde da região, como Hospital Brasil (Santo André), Hospital Assunção (São Bernardo) e Maternidade São Luiz (São Caetano). O plano prevê, além do imediato reequilíbrio das contas mensais da autarquia, a cobertura de rombo de aproximadamente R$ 9 milhões, ainda no exercício de 2019.

O Imasf conta atualmente com 20 mil beneficiários e a proposta apresentada pelo Executivo não prevê reajuste ao grupo de servidores do plano intermediário, composto por 8.300 pessoas. Os usuários do plano especial 1 (6.120 pessoas) serão bene­ficiados com o a Rede D’Or. Esse grupo, com padrão de internação em apartamentos individuais, serão impactados, com acréscimo de 20% nas mensalidades. As demais categorias do Imasf passarão por reajustes, os quais, segundo a administração municipal, são imprescindíveis para a saúde financeira da autarquia.

“Esse plano foi pensado única e exclusivamente no nosso servidor. O Imasf foi criado há várias décadas e tem uma história muito bonita. Contudo, muitos gestores abandonaram e desvalorizaram seu nome. Pior, quem pagou a conta foram os próprios servidores, que foram perdendo credenciamentos e serviços importantes”, destacou o prefeito Orlando Morando (PSDB).

O texto estabelece ainda a implementação do Plano Especial II a ser integrado pelos atuais beneficiários inscritos no Plano Especial I, residentes fora da área de abrangência do IMASF, e que se dispuserem ao pagamento de uma contribuição diferenciada.

Deixe seu comentario

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*